Cafuné robótico a caminho? Garra mecânica é tão sensível quanto a mão humana

Cafuné robótico a caminho? Garra mecânica é tão sensível quanto a mão humana

Por Gustavo Minari | Editado por Douglas Ciriaco | 31 de Dezembro de 2021 às 15h00
Reprodução/NUS

Pesquisadores da Universidade Nacional de Cingapura (NUS) desenvolveram uma nova mão robótica capaz de segurar tanto objetos macios e delicados quanto itens maiores, pesados e volumosos. O sistema híbrido é totalmente reconfigurável, podendo ser utilizado em diversos tipos de aplicações, como na indústria de alimentos, embalagens e agricultura vertical.

As garras robóticas possuem dedos macios e flexíveis impressos em 3D que podem ser adaptados conforme a necessidade para automatizar operações que envolvam agilidade, precisão e robustez ao mesmo tempo, sem prejudicar a eficiência dos movimentos durante o processo de pega dos objetos.

“A forma, a textura, o peso e o tamanho de um objeto afetam como devemos segurá-lo. Esta é uma das principais razões pelas quais muitas indústrias ainda dependem do trabalho humano para embalar e manusear itens delicados”, explica o professor de engenharia biomédica Raye Yeow, autor principal do estudo.

Quase humano

Segurar algo é uma das tarefas mais comuns realizadas por seres humanos, mas para os robôs essa função não é tão fácil assim. Alcançar uma habilidade semelhante à de mãos de verdade requer visão computacional e um sistema de aprendizado profundo para detectar tipos diferentes de objetos e sua orientação no espaço.

Mão robótica consegue distinguir textura, forma e peso dos objetos (Imagem: Reprodução/NUS)

Com essa nova abordagem, os pesquisadores conseguiram fazer com que a garra robótica fosse capaz de decidir automaticamente qual a melhor forma para escolher e posicionar um determinado objeto, minimizando a necessidade de intervenção de um operador humano em tempo real.

“As garras robotizadas possuem três ou quatro dedos macios flexíveis movidos a ar e equipados com um mecanismo de travamento com rigidez ajustável. Nós desenvolvemos três tipos de mãos diferentes que podem ser utilizadas em funções e contextos completamente distintos”, acrescenta o professor Yeow.

Mãos para toda obra

O primeiro sistema foi apelidado de GourmetGrip, um dispositivo adequado para realizar tarefas mais granulares, como fazer sanduíches delicados ou manusear ingredientes mais sensíveis, como tofu. Essa variante é reconfigurável para que possa desempenhar diferentes tipos de empunhadura, com uma eficiência 23% melhor em comparação com outros modelos disponíveis no mercado.

Já o UnisoGrip — abreviação de Universal Soft Gripper ou Garra Macia Universal em tradução livre — foi projetado para lidar com produtos embalados em linhas de montagem e colocados em caixas para envio e transporte. Ele possui dedos macios e giratórios, além de uma ventosa de sucção a vácuo para mover objetos com até 30 centímetros de largura e pesando no máximo 3 kg.

Garra robótica pode ser adaptada conforme a necessidade (Imagem: Reprodução/NUS)

A última versão da garra robótica é uma junção dos outros dois sistemas, com uma capacidade maior de adaptação em aplicações com restrição de espaço. Essa variante oferece uma ampla variedade de opções de pega para manipular objetos com formas, tamanhos, pesos e materiais diferentes.

“Com o aprimoramento dessa tecnologia, esperamos que seja possível desenvolver mãos robóticas que facilitem o processo de automação na indústria nos próximos anos, criando soluções que possam aliviar a carga de trabalho para os seres humanos, além de aumentar a sua produtividade”, encerra o professor Raye Yeow.

Fonte: National University of Singapore

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.