Amazon fecha trimestre fiscal com ganhos US$ 87,4 bi e volta a valer US$ 1 tri

Amazon fecha trimestre fiscal com ganhos US$ 87,4 bi e volta a valer US$ 1 tri

Por Claudio Yuge | 30 de Janeiro de 2020 às 20h00
Amazon

Assim como outras gigantes da tecnologia estão fazendo nesta semana, a Amazon divulgou resultados financeiros do quatro trimestre de 2019, que encerrou no dia 31 de dezembro. A companhia obteve uma receita de US$ 87,4 bilhões e lucro líquido de US$ 3,3 bilhões — no mesmo período do ano anterior, esses números ficaram em US$ 72,4 bilhões e US$ 3 bilhões, respectivamente.

O EPS, que representa os ganhos por ação e serve como referência de rentabilidade no mercado, ficou em US$ 6,47, quando, na temporada passada, chegou a US$ 6,04. Os analistas financeiros esperavam que a Amazon recebesse US$ 86,01 bilhões e reportasse ganhos por papel no valor de US$ 4,04. Em Wall Street, a notícia animou os investidores e as cotas fecharam o dia em alta de 12,68%, a US$ 1.870,68.

Jeff Bezos está rindo à toa (Imagem: Reprodução/StartSe)

Com isso, a Amazon voltou a ter valor de mercado superior a US$ 1 trilhão. Além disso, é a primeira vez que quatro gigantes do setor alcançam esse patamar juntas, já que Apple, Microsoft e Alphabet (empresa-mãe do Google) também têm esse valor de mercado trilionário atualmente. Para o primeiro trimestre de 2020, a empresa de Jeff Bezos prevê uma receita entre US$ 69 bilhões e US$ 73 bilhões — a projeção dos analistas fica, na média, em US$ 71,61 bilhões.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Sucesso do Amazon Prime

Embora os serviços de nuvem sejam uma das maiores frentes da Amazon, quem roubou a cena desta vez foi o Amazon Prime, pacote de serviços por assinatura que dá benefícios diversos, incluindo frete grátis em muitos produtos, tempo de entrega reduzido, e acesso a streamings como o Prime Video e o Prime Music, além do Prime Reading e da Twitch Prime. A companhia comemora a marca de 150 milhões de assinantes Prime em todo o mundo, sendo que este número era de 100 milhões em abril de 2018.

Bezos comentou, ainda, que "os membros do Prime assistiram ao dobro das horas dos filmes e programas de TV originais no Prime Video neste trimestre, em comparação com o ano anterior, e a Amazon Originals recebeu 88 indicações e 26 vitórias nas principais premiações”.

No total, os serviços por assinatura cresceram 32% no Q4 2019, com receita de US$ 5,4 bilhões. "Tornamos a entrega do Prime mais rápida — o número de itens entregues aos clientes dos Estados Unidos com entrega gratuita de um dia e no mesmo dia mais que quadruplicou este trimestre, em comparação ao ano passado”, comenta Bezos.

Nuvem tem crescimento mais tímido e “outros” produtos registram maior alta

O serviço em nuvem Amazon Web Services (AWS) segue como líder no mercado, à frente do Microsoft Azure e do Google Cloud. Houve crescimento de 34% nas vendas, com receita de US$ 9,95 bilhões. Embora os números sejam muito bons, há uma tendência de queda nesse setor da companhia nos últimos trimestres — no Q2 2019, a alta foi de 37% e no Q3 2019 foi de 35%.

O smart display Echo Show 5 (Imagem: Reprodução/Amazon)

Já a categoria "outros", que estão atrelados aos negócios de publicidade, aumentaram 41%, com ganhos de US$ 4,78 bilhões. Ações de marketing customizado e no timing certo venderam muitas unidades do speaker inteligente Echo dot, do dongle Fire TV Stick 4K e também do smart display Echo Show 5, todos equipados com a assistente Alexa — ainda que, como de praxe, a empresa não tenha apresentado os números desses produtos.

Fonte: Venture Beat, Amazon  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.