Twitter diz que bug fez posts indesejados aparecerem na linha do tempo

Por Felipe Demartini | 05 de Setembro de 2018 às 11h31
Tudo sobre

Twitter

Usuários do Twitter começaram a notar, neste início de semana, uma presença maior de tweets de terceiros em sua linha do tempo, principalmente com temas políticos. O problema foi notado, principalmente, nos Estados Unidos, onde mensagens do presidente Donald Trump passaram a ser exibidas com mais frequência mesmo por quem não o segue. O pulo do gato é que, na maioria dos casos, as mensagens não tinham sido efetivamente curtidas pelos contatos indicados.

Rapidamente, começou a se especular sobre a aplicação de um sistema que removeria usuários de suas “bolhas de informação”, motivando o contato com pontos de vista e ideias diferentes. Seria uma forma, mesmo que forçada, de ampliar a discussão e o engajamento entre os usuários, mesmo que os resultados disso nem sempre sejam os mais desejáveis em termos de civilidade.

Nem uma coisa nem outra, entretanto. De acordo com o Twitter, a exibição indevida de publicações de terceiros nas linhas do tempo dos usuários tem a ver com um bug no sistema de curtidas, que passou a entender outras interações como tal. Publicações visualizadas de forma individual ou com as quais os contatos interagiram, mesmo sem dar um like, acabaram sendo exibidas pelo algoritmo como acontece com aquelas que recebem um coração.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A rede social não disse quantas contas foram afetadas pelo problema, mas citou que o total é “numeroso”. Além disso, afirmou estar trabalhando para resolver o problema e devolver aos utilizadores o comportamento usual de suas timelines, por mais que, como seus executivos já disseram inúmeras vezes, preze pelo debate de ideias e acredite que as discussões a partir de pontos de vista diferentes são importantes não apenas para a plataforma, mas para todo o ecossistema online.

Outras iniciativas nesse sentido envolvem o combate às fake news e publicações que disseminem discurso de ódio ou incentivem atos violentos. É uma “reforma”, como vem sendo propagandeada, voltada para recuperar a reputação da rede social e que vem sendo capitaneada pelo próprio CEO da empresa, Jack Dorsey — embora ele tenha passado por cima dos funcionários para manter Jack Dorsey na plataforma. Algumas medidas já tomadas envolvem o banimento de perfis extremistas e o bloqueio de bots e contas de spam, com impacto, inclusive, sobre o total de seguidores de alguns perfis.

Fonte: Engadget

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.