Notícia errada sobre COVID-19 foi link mais acessado no Facebook em 2021 nos EUA

Notícia errada sobre COVID-19 foi link mais acessado no Facebook em 2021 nos EUA

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 25 de Agosto de 2021 às 12h41
(Imagem: Reprodução/Timothy Hales Bennett/Unsplash)

As fake news continuam com cada vez mais poder de disseminação na internet mundial. Prova disso é o novo relatório do Facebook, divulgado pela rede BBC, com a informação de que o link mais visualizado no primeiro trimestre de 2021 na rede social foi uma notícia falsa.

O site do jornal The New York Times, dos Estados Unidos, atribuiu equivocadamente a morte de um médico à vacina contra a COVID-19. Duas semanas depois, o texto da reportagem esclareceu que não houve evidências que ligassem a morte do homem à dose tomada, mas isso foi insuficiente para conter a onda negacionista que se apropriou da matéria. A fonte original da "notícia" teve 54 milhões de visualizações somente na rede social.

O link mais acessado do Facebook entre janeiro e março de 2021 foi uma fake news sobre a vacina (Imagem: Divulgação/Fotos Públicas/GOVESP)

Luta contra as notícias falsas

Na semana passada, a rede social divulgou o relatório Widely Viewed Content Report (Relatório de Conteúdo Amplamente Visto, em tradução livre), porém focado no segundo trimestre de 2021. Na ocasião, a plataforma deu enfoque na baixa divulgação de conteúdos políticos e de posts mais "leves" nas primeiras colocações, mas não apresentou nenhuma notícia falsa.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

No segundo trimestre, o link mais popular foi do site de uma organização de ex-jogadores de futebol americano (Imagem: Captura de tela/Canaltech)

Nesta nova versão, com o recorte de um período anterior, a coisa mudou de figura. Na 19ª posição das páginas do Facebook mais populares está o site conspiratório Epoch Times, voltado para propagação de teorias mirabolantes e lar de grupos de extrema-direita. Pode não parecer uma posição de tanto destaque assim, mas é algo preocupante se for considerado que isso envolve a saúde das pessoas.

Em resposta à BBC, o Facebook explicou que o relatório do primeiro trimestre foi adiado para realização de verificações em dados, embora não tenha especificado quais. O resultado foca em quantidade de visualizações apenas, sem correlacionar fatores de engajamento como curtidas, comentários e compartilhamentos.

Você tem o costume de checar informações antes de compartilhá-la? Use o campo de comentários e debata sobre a prática.

Fonte: BBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.