Facebook Watch, plataforma de vídeos da rede social, chega a todos nesta semana

Por Rafael Arbulu | 29 de Agosto de 2018 às 11h01
Divulgação
Tudo sobre

Facebook

Saiba tudo sobre Facebook

Ver mais

O Facebook anunciou nesta quarta-feira (29) que, a partir de 30 de agosto, o seu serviço de vídeo sob demanda Facebook Watch estará disponível em escala global. Inicialmente operando exclusivamente nos Estados Unidos, a aba do Watch já podia ser vista em alguns smartphones de outros países — a empresa vinha testando o serviço a toques leves —, mas ainda sem curadoria local, o que deve mudar a partir de amanhã.

Originalmente lançado nos EUA em agosto de 2017, o Facebook Watch chegou para ser uma opção de encontro de conteúdos compartilhados entre amigos e, pouco tempo depois, abriu espaço para que criadores de conteúdo desenvolvessem programas e compartilhassem seus vídeos pela plataforma. Desde então, diversas produções feitas exclusivamente para o Watch ganharam destaque, como o Red Table Talk, um talk show apresentado pela atriz americana Jada Pinkett Smith, que tem 2,9 milhões de seguidores. Outras atrações incluem coberturas noticiosas e transmissões de eventos. De acordo com o Facebook, cerca de 50 milhões de pessoas se conectam ao Watch por pelo menos um minuto ao mês.

Facebook Watch: serviço de VoD da rede social será globalizado a partir de 30/8

“Com o lançamento global do Watch, estamos levando nosso apoio a criadores e publicadores de conteúdo de todo o mundo, em duas áreas essenciais: auxiliá-los a ganhar dinheiro com os seus vídeos e compreender melhor o desempenho de seus conteúdos”, disse um porta-voz do Facebook em comunicado à imprensa. Atualmente, o Facebook Watch é monetizado por anúncios exibidos no meio da transmissão dos vídeos. A rede social espera testar, nos próximos meses, anúncios que antecedam a reprodução dos conteúdos (similar ao modelo praticado pelo YouTube).

Ainda não é possível determinar o impacto que isso terá no Brasil. Por aqui, a aba do Watch se limita a mostrar vídeos virais com animais ou situações de alto tráfego vindas de outras mídias e que ganharam tração nas redes, como polêmicas de jornais nas TVs e trechos de programas televisivos sendo compartilhados na internet. Até onde se sabe, não há shows produzidos especificamente para o Watch no Brasil. Será que as novas contratações do Facebook para parcerias e as transmissões de jogos de futebol sinalizam uma mudança nesse aspecto?

Fonte: Engadget; Variety

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.