Facebook nega que esteja criando software de rastreamento ocular

Por Patrícia Gnipper | 12 de Junho de 2018 às 15h24

O Congresso dos Estados Unidos questionou o Facebook quanto a duas patentes registradas pela companhia, que indicam o desenvolvimento de um software de rastreamento do movimento dos olhos do usuário. A empresa de Mark Zuckerberg, no entanto, negou estar criando tal tecnologia.

As patentes dizem respeito ao Oculus, headset de realidade virtual. Em um dos documentos, vemos a descrição de que a tecnologia "é uma maneira de reduzir potencialmente o atrito do usuário e aumentar a segurança das pessoas quando elas acessam o Oculus ou acessam o conteúdos da Oculus"

Os questionamentos do Congresso foram feitos em abril, na sabatina que Zuck sofreu com relação à privacidade e uso de dados dos usuários da maior rede social do mundo. Mas algumas questões não foram respondidas na ocasião, com Mark, agora, fornecendo um retorno por escrito ao que ficou sem resposta na época.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

"No momento, não estamos construindo tecnologia para identificar pessoas com câmeras de rastreamento ocular", disse o Facebook. "Se implementarmos essa tecnologia no futuro, faremos isso com a privacidade das pessoas em mente, assim como fazemos com as informações de movimento (que anonimizamos em nossos sistemas)", continua.

Após o escândalo envolvendo o uso indevido de dados por parte da Cambridge Analytica, que acessou dados de mais de 87 milhões de usuários do Facebook, a rede social se vê no olho do furacão na questão segurança e privacidade. Por conta disso, a companhia recentemente reformulou suas políticas de privacidade, prometendo ser mais transparente com sua base de usuários, que abriga mais de 2 bilhões de pessoas.

Fonte: CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.