Coronavírus: Facebook, Amazon e eBay rejeitam anúncios sobre a doença

Por Alberto Rocha | 08 de Março de 2020 às 12h00
pixabay
Tudo sobre

Facebook

Saiba tudo sobre Facebook

Ver mais

As redes sociais, com o grande papel que têm atualmente dentro da sociedade atual, também estão no combate ao Coronavírus (SARS-CoV-2) pelo mundo. O Twitter, por exemplo, passou a notificar os usuários sobre informações sobre a epidemia como forma de evitar fake news sobre o assunto.

Agora, é a vez do Facebook, que na última sexta-feira (6), por meio de Rob Leathern, diretor de gerenciamento de produtos da rede social, em sua conta no Twitter, anunciou a proibição de anúncios relativos a máscaras faciais médicas e produtos médicos que prometam prevenção ou cura para o COVID-19.

Além disso, grupos de discussão cujo tema está relacionado ao Coronavírus (SARS-CoV-2) também serão bloqueados e não mais recomendados pelo algoritmo da rede social.

“Atualização: proibimos anúncios e listagens comerciais que vendem máscaras faciais médicas. Estamos monitorando o COVID-19 de perto e faremos as atualizações necessárias em nossas políticas se virmos pessoas tentando explorar essa emergência de saúde pública. Essa alteração vai começar a ser lançada nos próximos dias”, revela a publicação.

Amazon e eBay também entram na corrente do bem

Outras gigantes da internet que aderiram ao combate da doença são a Amazon e eBay. A primeira trabalha para tirar ofertas com preços fora do padrão em produtos como máscaras, desinfetantes em alta após o surto do Coronavírus.

A eBay segue esquema parecido, proibindo todas as listagens de máscaras faciais N95 e N100, desinfetante para as mãos, toalhetes de álcool, além de bloquear anúncios que contenham as palavras “COVID-19” e “coronavírus”.

Fonte: Twitter, TechCrunch  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.