Com lucro recorde em 2013, Facebook alcança marca de 1,23 bilhão de usuários

Por Redação | 30 de Janeiro de 2014 às 11h32
photo_camera Gawker

Há quem diga que o Facebook já segue para um caminho sem volta rumo ao esquecimento. Uma análise recente de pesquisadores da Universidade de Princeton afirma categoricamente que a rede social atingiu seu pico de utilização e que, a partir de agora, começa a entrar em declínio. Os estudiosos ainda dizem que o site perderá 80% de seus usuários até 2017, data em que outros serviços conectados tomarão o espaço da plataforma criada por Mark Zuckerberg.

Bom, se isso é verdade ou não, só o tempo dirá. Fato é que o Facebook enfrenta uma ótima fase, e divulgou nesta quarta-feira (29) os resultados financeiros que correspondem ao ano de 2013. O lucro liquido da companhia foi de US$ 523 milhões de dólares no quarto trimeste do ano passado (US$ 0,31 por ação), um aumento de 717% em relação ao mesmo período de 2012, quando o site arrecadou apenas US$ 64 milhões (US$ 0,17 por ação).

Já a receita operacional alcançou US$ 2,58 bilhões no quarto trimestre de 2013, contra US$ 1,58 bilhão no mesmo período do ano anterior. No ano de 2013, o Facebook arrecadou um total de US$ 7,9 bilhões em receitas, contra US$ 5,08 bilhões de 2012. O lucro líquido alcançou US$ 1,5 bilhão em 2013 (US$ 0,88 por ação), ante os US$ 53 milhões em 2012 (US$ 0,53 por ação).

Um dos indicadores mais importantes do relatório está nos aparelhos portáteis que se conectam à internet, como tablets e smartphones. Ao contrário das críticas feitas por analistas em 2012, a rede social se fortaleceu no universo dos eletrônicos móveis. Do montante total faturado (US$ 2,58 bilhões), 90% (US$ 2,34 bilhões) provém de publicidade, e mais da metade dessa receita (53%, ou US$ 1,24 bilhão) é decorrente dos anúncios exibidos em dispositivos móveis.

Número de usuários

Outro detalhe que chama atenção nos resultados divulgados pelo Facebook é a quantidade de internautas que se cadastraram ou que já utilizam a rede social. O site alcançou em 2013 uma base de 1,23 bilhão de contas, um aumento de 16% em relação ao ano anterior, quando o serviço registrou 1,06 bilhão de novos usuários. Do total de 1,23 bilhão, 757 milhões (63%) acessam a plataforma diariamente, contra 618 milhões em 2012.

No entanto, o destaque está na base de usuários de dispositivos móveis, que cresceu ainda mais no ano passado. Todos os dias, 556 milhões de pessoas usam a rede social através de um tablet ou smartphone, uma alta de 48% comparada ao ano anterior (374 milhões), enquanto que a média mensal atingiu 945 milhões de usuários no fim de 2013, avanço de 39% em relação ao mesmo período de 2012 (757 milhões).

Apesar do crescimento, o Facebook não comentou sobre as notícias recentes que apontam a saída de jovens da rede social. Em dezembro do ano passado, o professor Daniel Miller, da University College London, na Inglaterra, apresentou um estudo que afima que a rede social está "morta e enterrada" para a maioria dos adolescentes. Segundo Miller, os jovens agora dão preferência a outras plataformas e sites, como Twitter, WhatsApp, Instagram e Snapchat, porque eles [os adolescentes] acreditam que tais serviços são mais interessantes que o Facebook para conversar com os amigos e familiares mais próximos.

Enquanto isso, aqui no Brasil, as crianças estão cada vez mais integradas ao site de Mark Zuckerberg. Uma pesquisa recente realizada pela AVG constatou que a grande maioria das crianças do país com idades entre 6 e 9 anos possui um perfil no Facebook. A taxa de permanência e acesso desse público no site é de 54%, quatro vezes mais que a média global (16%) e nove vezes superior à da Austrália (6%).

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.