Único "superpoder" do Batman é tão absurdo que até a DC Comics admite isso

Único "superpoder" do Batman é tão absurdo que até a DC Comics admite isso

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 13 de Abril de 2022 às 21h40
Reprodução/DC

O Batman não tem poderes, sendo todos os seus maiores feitos resultados de um treino de anos que transformaram o corpo de Bruce Wayne em um exemplar do ápice humano. Mas algumas coisas ainda são inexplicáveis mesmo nesse contexto, como o "superpoder" do Cavaleiro das Trevas sumir durante conversas do nada.

O Comissário Gordon é uma das principais “vítimas” dessa habilidade do Batman, já que é bem comum que quando ambos estejam discutindo crimes, o Cavaleiro das Trevas entenda que o dialogo acabou e desapareça. Só que em alguns casos até o policial não consegue acreditar nessa situação, como em Batman: Killing Time #2, lançada recentemente.

Na edição, o herói e o comissário discutem os próximos passos que uma união de vilões, liderada pelo Charada e com membros como Mulher-Gato e Pinguim, podem aplicar no esquema criminoso. O policial permite que o vigilante interrogue um prisioneiro para tentar obter mais detalhes, levando ambos os personagens para um corredor da delegacia, em que uma sala no fundo guarda um meliante importante para a trama.

O comissário Gordon está cansado dos desaparecimentos de Batman. (Imagem: Reprodução/DC Comics)

Batman entra na sala e interroga o criminoso, e, após finalizar a tarefa, fala com Gordon no corredor. O policial, no meio da conversa, desvia o olhar do Homem-Morcego, e, quando retorna sua atenção ao lugar em que o herói estava, nota que ele sumiu — algo recorrente nas tramas de Batman, mas, que, desta vez em especial, deixa oficial em estado pistola. “Estamos em um corredor… você está de sacanagem comigo, tá se escondendo atrás de uma #$@!! de lixeira?”, esbraveja o comissário, em choque com mais esse desaparecimento do herói.

Essa técnica de sumir nas sombras usada pelo Batman é uma consequência de seu treino com a Liga das Sombras na juventude, adicionando a teatralidade do personagem, já que os seus oponentes e mesmo amigos acabam se assustando com a situação.

Porém, em muitos casos, ela acaba sendo inexplicável, principalmente em delegacias de polícia, um dos lugares em que Wayne mais utiliza essa tática. Nelas, os ambientes normalmente são compactos demais para tornar crível a utilização desse poder, o que faz tudo parecer dissonante do suposto realismo do personagem.

Ao mesmo tempo, estamos falando de um bilionário que se veste de morcego para lutar contra palhaços e crocodilos superdesenvolvidos, então, talvez cobrar realismo não seja exatamente o melhor caminho — é melhor aproveitar situações como a de Batman: Killing Time #2, em que os próprios personagens da HQ brincam com o "superpoder" e questionam as habilidades mais extensas do herói sombrio de Gotham.

Fonte: ScreenRant

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.