Saiba quem é Shang-Chi nas HQs e como deve ser sua adaptação na Marvel Studios

Saiba quem é Shang-Chi nas HQs e como deve ser sua adaptação na Marvel Studios

Por Claudio Yuge | Editado por Luciana Zaramela | 25 de Abril de 2021 às 11h00
Marvel Studios

Nesta semana a Marvel Studios liberou o primeiro trailer da estreia de um de seus principais heróis asiáticos nas telonas. Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis já está finalizado há algum tempo e deve abrir mais um cantinho da Marvel Comics nas telonas, com uma mistura de artes marciais, misticismo e, claro, muito heroísmo e humor, na melhor tradição das produções da Casa das Ideias. Mas quem é esse personagem, que sempre ficou em segundo plano e agora ganha tanta atenção? Qual é sua origem e poderes e como sua presença deve impactar o Universo Cinematográfico Marvel (MCU, na sigla em inglês).

Shang-Chi sempre foi mais conhecido entre os brasileiros como Mestre do Kung Fu, especialmente no começo dos anos 1980, quando suas aventuras começaram a chegar ao Brasil. O personagem foi criado pela Marvel Comics no auge da febre dos filmes e séries de artes marciais em Hollywood, no início dos anos 1970 — nesta época, o seriado Kung Fu, de David Carradine, era sucesso absoluto. Como dá para notar em suas primeiras histórias, ele é altamente influenciado pela figura do Bruce Lee.

Imagem: Reprodução/Marvel Comics

O Mestre do Kung Fu estreou na revista Special Marvel Edition #15, de dezembro de 1973, pelas mãos de Jim Starlin (o mesmo que criou Thanos) e Steve Englehart. Nesse período, a Marvel Comics vinha tentando fazer uma ponte entre os quadrinhos e o sucesso dos seriados televisivos, já que os aparelhos de TV se tornavam mais populares e acessíveis em todo o mundo. Para a criação de Shang-Chi, a Casa das Ideias até mesmo conseguiu os direitos da figura do Doutor Fu Manchu, popular nas novelas literárias do escritor inglês Sax Rohmer.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Mas, com o tempo, assim como tudo na Marvel Comics, Shang-Chi e os elementos em torno de sua ambientação foram mudando, para que ele se tornasse uma figura mais atuante em núcleos de super-heróis, a exemplo do Homem-Aranha e dos Vingadores.

Origem e poderes de Shang-Chi

O Mestre do Kung Fu (vou usar esse nome, porque é um jeitinho brasileiro carinhoso de chamar o personagem) nasceu um ano antes que o Punho de Ferro, outra grande referência marvete na época. Shang-Chi, que significa “o surgimento e o avanço de um espírito”, era filho do mentor criminoso Fu Manchu e foi criado na província chinesa de Honan. Ele foi treinado desde criança para ser uma máquina letal de combate, como uma ferramenta para o império criminoso de seu pai.

Já mais velho, ao assassinar um velho indefeso, Shang-Chi teve uma epifania e começou a ver seu pai com outros olhos, assim como o mundo exterior ao de seu crescimento. Foi quando ele se libertou das amarras de seu criador e percebeu que, na verdade, ele não estava trabalhando do lado dos “mocinhos”. E aí começa sua luta para inicialmente fugir e depois combater o seu próprio progenitor.

Imagem: Reprodução/Marvel Comics

Em seus primeiros anos de publicação e durante os anos 1980, as aventuras de Shang-Chi eram muito mais “pé no chão” e envolviam espionagem, especialmente quando ele atuava ao lado do Serviço Secreto britânico. Ele não tinha superpoderes, mas sempre conseguia se defender e derrubar grandes adversários, aparentemente intransponíveis, incluindo seres como Wolverine. Com o tempo, os escritores foram adicionando mais elementos ao Mestre do Kung Fu, até que ele foi se tornando mais "contemporâneo" e integrado aos super-heróis, já depois dos anos 1990.

O Shang-Chi “moderno”

A partir dos anos 1990, a Marvel Comics começou a incorporar melhor o personagem ao seu cânone. Shang-Chi passou a se tornar especialista em todos os tipos de artes de marciais, incluindo o uso de vários modelos de armas; e ajudou o Homem-Aranha a desenvolver seu próprio estilo de luta, o “Caminho da Aranha”. Ele também teve um encontro com o Homem-Coisa, que destacou o lado místico e espiritual de suas histórias.

Em seguida, já a partir dos anos 2000, Shang-Chi passou a ter alguns poderes controlando o chi. Dessa forma ele passou a ter uma percepção mais apurada sobre elementos naturais e energias de todos os seres vivos. Foi assim, por exemplo, que certa vez ele chegou a furar uma barreira telepática criada por Jean Grey. E em seguida ele experimentou vários superpoderes.

Imagem: Reprodução/Marvel Comics

Shang-Chi já teve os poderes do Homem-Aranha, chegou a ter uma manopla especial para lutas desenvolvido por Tony Stark e usou as partículas Pym para se tornar gigante. E, após a exposição a radiação cósmica, passou a ter a capacidade de criar cópias ilimitadas de si mesmo. Aliás, essa é uma habilidade que ele mantém até os dias de hoje. E, nas mais recentes Guerras Secretas, de 2011, ele também desenvolveu técnicas que o permitem ficar intangível e transformar oponentes em pedra.

Com seu arsenal “otimizado” ao longo dos anos, ele participou de várias histórias com os Vingadores, Homem-Aranha e os heróis de rua da Marvel — especialmente os que são ligados a artes marciais, a exemplo do Punho de Ferro e Demolidor. Mais recentemente, Shang-Chi chegou a participar de um grupo formado somente pelos heróis asiáticos da Marvel e, com a chegada de seu filme, passou a ter um novo título próprio da Marvel, desde o ano passado.

Como será o Shang-Chi da Marvel Studios?

Não é segredo para ninguém que o mercado chinês é importantíssimo para a bilheteria e a audiência da Marvel Studios. Já havia planos para um filme do Mestre do Kung Fu em 2006 e, desde o início, o MCU vem acrescentando mais personagens asiáticos às suas produções, justamente para ter mais identificação nos cinemas orientais. Some a isso a expansão da diversidade e de representatividade promovida pela companhia ao longo dos últimos 15 anos.

Imagem: Reprodução/Marvel Studios

Lá atrás, no início das publicações de Shang-Chi, a Marvel já tinha perdido os direitos de uso da figura do Fu Manchu, então, a origem do personagem foi alterada, com o nome de seu pai sendo alterado para Zheng Zu. E mudança semelhante vai acontecer em Shang-Chi e a Lenda dos Dez Aneis, que deve introduzir o verdadeiro Mandarim como seu pai, assim como a lenda dos aneis energéticos e o icônico dragão Fing Fang Foom, à mitologia do personagem nos cinemas.

Com uma equipe de produção, direção e atores formada por chineses, a ideia da Marvel é trazer aquela autêntica aura dos filmes de kung fu dos anos 1970 — já bastante homenageados por Quentin Tarantino no passado, por exemplo — para seu MCU, mas de uma forma revigorada, claro. Além disso, o filme deve fazer justiça ao personagem Mandarim, mal representado em Homem de Ferro 3. E, claro, a ideia da Marvel Studios é fazer o que vem dando certo nos últimos anos: promover a mistura de gêneros para criar o seu próprio.

Shang-Chi e a Lenda dos Dez Aneis deve, por exemplo, explorar algo que ficou mal explicado na série Punho de Ferro: a origem mística dos poderes e das entidades da mitologia asiática no MCU. Então, além de ser o primeiro título com um protagonista oriental, a Marvel terá a chance de ampliar um cantinho que deve trazer muitos frutos no futuro, incluindo uma possível interação com os heróis de rua que estavam na Netflix.

O filme tem direção de Daniel Cretton, com Simu Liu no papel de Shang-Chi e Tony Chiu-Wai Leung interpretando o Mandarim. Devido à pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), o longa teve sua data alterada algumas vezes no ano passado e agora passou do dia 7 de maio para 3 de setembro deste ano.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.