Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Personagem da série Mulher-Hulk entra na continuidade oficial da Marvel

Por| 15 de Abril de 2024 às 21h43

Link copiado!

Marvel Comics
Marvel Comics

A série Mulher-Hulk: Defensora de Heróis, do streamingDisney+, pode até não estar entre as melhores produções do Marvel Studios, mas trouxe lá seus bons momentos, como a relação de Jennifer Walters (Tatiana Maslany) com Bruce Banner (Mark Ruffalo) e com Matt Murdock (Charlie Cox; e a aparição da divertida personagem Madsynn King (Patty Guggenheim), que acaba de chegar oficialmente à continuidade do Universo Marvel.

Atenção para spoilers em potencial de What If…? Venom #3!

Assim que apareceu nas telinhas, Madisynn agradou instantaneamente a todos, por conta de seu jeitinho sexy e atrapalhado, além de sua divertida relação de amizade com o Feiticeiro Supremo Wong. Na série, ela foi um bem-vindo alívio cômico que acabou se estabelecendo como uma “âncora humana” entre tantos superseres.

Continua após a publicidade

Em What If…? Venom #3, lançado recentemente, Doutor Estranho investiga o simbionte Venom e vai até Wong para obter ajuda com o alienígena, mas acaba levando um fora por que seu amigo tem um um compromisso com Madisynn.

A beldade tem uma espécie de aparição “fora da câmera na prévia”a, enquanto Wong abre um portal para um apartamento onde ela toma bebidas, esperando pela exibição do final de bacharelado. Embora seja breve, o momento oficializa a amizade de Wong e Madisynn do MCU para as páginas da Marvel Comics.

Essa é uma boa maneira de matar a vontade dos fãs de verem mais de Madisynn, mesmo fora da telonas, e ao lado de outros personagens famosos da Casa da Ideias, a exemplo de Homem-Aranha, Capitã Marvel, entre outros.

Vale destacar que em Mulher-Hulk: Defensora de Heróis, Madisynn foi parar em algum reino demoníaco e só retornou graças a um acordo com um demônio. Isso seria o suficiente para colocá-la realmente em alguma das tramas dos gibis da Marvel, principalmente no núcleo do Motoqueiro Fantasma — quem sabe, não é mesmo?