Publicidade

Alien finalmente explica por que os sintéticos defendem os Xenomorfos

Por| 21 de Maio de 2024 às 21h52

Link copiado!

Marvel Comics
Marvel Comics

Desde o início da franquia Alien, os seres sintéticos têm sido parte importante na construção da mitologia da franquia. Essas criaturas robóticas criadas pelos humanos consideram os Xenomorfos a espécie “perfeita”, como visto em Ash, em Alien — O Oitavo Passageiro, de 1979; e David, Alien: Covenant, de 2017. Mas por que eles acham isso? A resposta está em uma nova HQ.

Atenção para spoilers de Alien: Black, White & Blood #1-4!

Todo mundo que acompanha Alien há um bom tempo sabe que os sintéticos tendem a considerar os Xenomorfos como “perfeitos”, e fica implícito que pensam dessa forma devido à habilidade predatória e/ou maleabilidade genética dos extraterrestres. Mas essas razões não respondem ao porquê de serem considerados o “organismo ideal”.

Continua após a publicidade

Em Utopia, conto publicado recentemente na antologia Alien: Black, White & Blood, a trama mostra uma colônia humana dedicada à igualdade total e é completamente desfeita devido a uma invasão de Xenomorfos. A nave autossustentável Forward era o lar de pessoas suficientes para colonizar um novo mundo que levaria cerca de 1 mil anos para ser alcançado.

Depois que uma Rainha Xenomorfa invade a colônia, os habitantes isolam a área em quarentena e deixam a alienígena sozinha por meio século. Em seguida, tentam retomar o espaço da embarcação, apenas para perder centenas de vidas e abrir mão de ainda mais locais.

Isso segue acontecendo até não haver pessoas suficientes para povoar o novo mundo para o qual viajavam, então, a guardiã sintética dessas pessoas, chamada Siostra, toma a decisão de descartar os humanos restantes no espaço. 

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Humanos não merecem uma utopia

Siostra chega a uma conclusão assustadora: os Xenomorfos merecem o novo mundo mais do que os humanos jamais mereceram. As pessoas a quem ela foi programada para ajudar formavam uma sociedade chamada União dos Povos Progressistas, e que, devido à invasão alienígena, comprometeram seus ideais rapidamente.

Quando a Rainha Xenomorfa embarcou pela primeira vez, não houve votação para determinar como lidar com a situação, e sim uma decisão tomada por um pequeno grupo. "Três minutos. Foi o tempo que levaram para se tornarem ditadores”, disse Siostra.

O degradê moral continuou quando eles efetivamente elegeram um ditador para colocar a nave sob lei marcial, o que resultou em uma guerra total com os Xenomorfos gerados pela única Rainha, levando à morte de centenas e à perda de mais de seus membros. “Tudo por causa do orgulho do seu novo ditador."

Continua após a publicidade

Então, quando estavam à beira da extinção, os humanos não conseguiram nem seguir as simples medidas de sobrevivência estabelecidas por Siostra, o que resultou em suas mortes, mostrando que, na verdade, a sintética tirá-los para o espaço foi uma morte mais digna do que o futuro reservava.

No mundo de Alien, quando confrontados com uma crise, mesmo os “melhores” humanos comprometidos com a igualdade total, como União dos Povos Progressistas, transformaram-se, de um jeito ou de outro, em fascistas, corporativistas e niilistas. 

Embora alguns humanos fossem bons, toda essa civilização não era verdadeiramente coesa, e Siostra concluiu que nunca poderia ser. Em contraste, os Xenomorfos trabalharam juntos em direção a um objetivo comum, não prejudicando uns aos outros para ganho pessoal e todos os membros da colmeia eram verdadeiramente iguais.

Continua após a publicidade

Portanto, em termos de uma sociedade ideal como Siostra foi programada para ver isso, os Xenomorfos são uma espécie perfeita. E é por isso que os sintéticos acreditam nisso em toda a mitologia de Alien.