Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Vale a pena comprar um Kindle usado?

Por| Editado por Léo Müller | 01 de Fevereiro de 2023 às 13h40

Link copiado!

Ivo Meneghel Jr/ Canaltech
Ivo Meneghel Jr/ Canaltech
Kindle Paperwhite (11ª Geração)

Comprar um Kindle usado pode ser a alternativa para aqueles que querem entrar no mundo dos leitores digitais, mas não quer pagar o alto preço de um modelo vendido no site oficial da Amazon. Afinal, pagar quase R$ 500 pelo Kindle mais barato da atualidade pode ser um problema, principalmente se for o primeiro contato com os e-readers e quer apenas fazer um "teste" inicial.

Mas será que vale a pena mesmo comprar um Kindle usado? Diferente de celulares, adquirir um leitor digital de “segunda mão” pode trazer alguns riscos e, algumas vezes, pode não compensar o gasto. Vamos entender, portanto, até que ponto compensa e quais são os possíveis riscos de se comprar o leitor digital usado.

Continua após a publicidade

Estado do Kindle

Um dos fatores mais importantes é o estado físico do dispositivo Kindle. Não só verificar se ele está com o exterior em boa situação — sem arranhões, marcas de uso, etc — mas também se assegurar de que a tela ainda está em boas condições e, é claro, o desempenho da bateria.

Este último é um dos fatores mais difíceis de se confirmar, principalmente se você estiver comprando online. Portanto, se possível, prefira vendedores que você possa encontrar pessoalmente e, de preferência, que permita você testar o Kindle por algumas horas ou até mesmo um dia.

Continua após a publicidade

Infelizmente, isso não é tão fácil e, portanto, você corre o risco de adquirir um produto com a bateria longe dos seus melhores dias. Vale lembrar que um Kindle novo dura semanas longe das tomadas, então se você conseguir uma oferta para um modelo que chegue perto disso, já é um bom caminho.

A tela é outro aspecto fundamental. Eu, por exemplo, já tive um modelo de Kindle Paperwhite que começou a ficar com as bordas do display esbranquiçadas, o que começou a atrapalhar bastante a experiência de leitura com ele. Com isso, se assegurar de que o painel ainda exibe bem o conteúdo é outro passo importante na hora de comprar um Kindle usado.

Garantia do Kindle e assistência técnica

Um ponto importante em que o Kindle se diferencia dos celulares e outros eletrônicos é em relação ao reparo e assistência técnica. Isso porque é difícil encontrar um lugar que faça a manutenção dos dispositivos da Amazon e, quando faz, é sempre em assistência não autorizada.

Continua após a publicidade

Dessa forma, se você comprar um Kindle usado e ele der problema — seja na tela ou na bateria — dificilmente você conseguirá suporte, principalmente se o dispositivo já estiver fora do período de garantia legal. A única saída, nesse caso, é entrar em contato com a própria Amazon, que pode lhe dar um desconto na compra de um novo Kindle, por exemplo, em vez de consertar o dispositivo usado.

Portanto, se estiver pensando em adquirir um leitor usado, prefira aqueles que ainda estão dentro do prazo da garantia. Além disso, quando possível, compre de pessoas confiáveis, das quais você sabe que poderá entrar em contato para acionar o atendimento da garantia se for preciso.

Vendedores confiáveis

Comprar de vendedores confiáveis é outro fator importante. Não só pelo motivo já mencionado — sobre a necessidade de acionar a garantia — mas também pela procedência do Kindle.

Continua após a publicidade

Não é algo muito comum, mas há casos de pessoas que compram um Kindle usado e, após receber o produto, percebe que ele está bloqueado e não é possível registrar a conta para aproveitar todas as funções do dispositivo.

É difícil afirmar porque isso acontece, mas há duas possibilidades. A primeira é que o vendedor, por má fé, entrou em contato com a Amazon após a venda e relatou que o Kindle foi roubado. Nestes casos, a empresa bloqueia o aparelho e isso impede que uma nova conta seja usada nele. Com isso, não é possível comprar livros ou aproveitar o dispositivo com todas suas funções.

Outra hipótese é que o dispositivo seja, de fato, roubado e tenha sido previamente bloqueado pelo verdadeiro dono. Em ambos os casos, é difícil fazer com que a Amazon reverta o bloqueio.

Continua após a publicidade

Dessa forma, é importante que você conheça a procedência do aparelho e, de preferência, opte por comprar em plataformas de compra e venda de usados, como o Mercado Livre. Não é uma garantia 100%, mas você poderá tentar acionar o suporte do site caso precise.

Outra possibilidade, dessa vez ainda mais efetiva, é negociar pessoalmente quando possível. Dessa forma, você poderá mexer no aparelho e atestar se, de fato, está tudo dentro dos conformes.

Ofertas atrativas

Mesmo em 2023, quando a nova geração dos e-readers já está disponível no site oficial da Amazon, ainda há ofertas para Kindles mais antigos. É comum encontrar vendas para Kindle da terceira geração ou até mesmo da linha Voyage, que já foi descontinuada pela marca. Modelos como estes claramente já passaram do período de garantia e é difícil garantir um bom funcionamento.

Continua após a publicidade

Dito isso, é preferível que opte por modelos um pouco mais “atuais”, mesmo que não sejam da última geração. Um bom exemplo disso são os Kindles da 10ª geração ou o Paperwhite lançado em 2018. Estes, por mais que não sejam tão recentes, ainda oferecem um bom custo-benefício, desde que estejam em um bom estado de conservação.

Outra dica é procurar ofertas atrativas. Em plataformas como OLX ou Mercado Livre, é comum encontrar anúncios entre R$ 200 e R$ 400, tanto do Kindle Paperwhite quanto do Kindle comum. Se for para o modelo Paperwhite, é uma boa faixa de preço, já que o modelo atual mais barato da linha custa mais de R$ 600 na loja da Amazon.

Já se a oferta for para o modelo comum, mesmo da 10ª geração, opte por vendedores que oferecem “algo a mais”. Alguns anúncios, por exemplo, incluem uma ou mais capas protetoras, o que já aumenta um pouco o valor do produto, já que estes acessórios, em alguns casos, custam quase R$ 100 na Amazon.

Continua após a publicidade

Também é importante verificar se o Kindle é acompanhado de um carregador. É importante frisar que os modelos mais antigos contam com conector micro-USB, que já não é tão popular atualmente e nem todo mundo tem um em casa sobrando.

Afinal, compensa comprar um Kindle usado?

Recomendar ou não a compra de um Kindle usado depende de muitos fatores. O preço do leitor dificilmente sofre alterações em lojas oficiais e o valor já é bastante salgado, até mesmo para o modelo mais básico.

Isso faz com que os vendedores dos dispositivos usados também coloquem preços altos, mas alguns incluem acessórios para compensar a venda, como capas protetoras ou carregadores.

Continua após a publicidade

Dependendo do estado do dispositivo — e de você ter confiança no vendedor — talvez compense encarar uma oferta para dispositivos com desconto de pelo menos R$ 200 no valor original. Mas, menos disso, eu recomendaria economizar mais um pouco ou até mesmo tentar parcelar um modelo novo em lojas oficiais.