Kindle Paperwhite 11 x Kindle Paperwhite 10: qual é melhor?

Kindle Paperwhite 11 x Kindle Paperwhite 10: qual é melhor?

Por Bruno Bertonzin | Editado por Léo Müller | 11 de Janeiro de 2022 às 11h23
Rafael Damini / Canaltech

No segundo semestre do ano passado a Amazon lançou sua nova geração de leitores digitais, os populares Kindle, e apresentou dois novos modelos na linha Paperwhite — conhecida por oferecer o melhor custo benefício.

Essa é a 11ª geração do Kindle Paperwhite, que chega para substituir o modelo de 2018 — que já oferecia certificação IPX8 de resistência à água, luz embutida com controle de brilho em 24 níveis e armazenamento de 8 GB para guardar milhares de livros.

Qual é a evolução, então, apresentada pelo seu sucessor, o Kindle Paperwhite (2018)? Seu review completo já está pronto e você pode conferir aqui, mas agora é hora de saber quais as diferenças entre as duas gerações.

Design

Novos modelos da linha Kindle Paperwhite contam com o mesmo design da geração passada (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

O design não mudou muita coisa, mas, de cara, é possível notar que temos um aproveitamento maior do display.

Enquanto a estética geral é a mesma — acabamento emborrachado, extremidades com curvas suaves e traseira completamente plana e uma única tecla física para controle de energia — nota-se que as bordas estão bem menores na nova geração.

Apenas a parte de baixo na nova geração é ligeiramente maior, mas a superior é consideravelmente mais curta, assim como as duas laterais. O dispositivo, em si, também cresceu bastante e saltou de 167 x 116 x 8.1 mm para 167 x 116 x 8.1 mm.

As bordas laterais menores da nova geração podem incomodar um pouco quem segura o dispositivo pelos lados, já que alguns toques involuntários podem acontecer. Na minha experiência de uso, porém, não tive muito esse problema e pude utilizar os dois aparelhos da mesma forma.

Tela

Amazon aumentou o tamanho da tela da linha Kindle Paperwhite para 6,8 polegadas (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

A tela ganhou um aumento na nova geração e isso contribui para que o aproveitamento total seja melhor em relação ao corpo. Agora temos uma tela de 6,8 polegadas, enquanto a geração passada era de “apenas” 6 polegadas.

A iluminação também está muito maior e agora temos nada menos do que 17 LEDs espalhados ao redor da tela no Kindle Paperwhite da 11ª geração, enquanto seu antecessor tinha apenas 5. Como efeito de comparação, o Kindle Oasis, modelo mais avançado da marca, tem um total de 25 pontos de luz.

Esse aumento ajuda a deixar a tela ainda mais clara e diminuir ainda mais os pontos sombreados em alguns trechos da tela. O que antes já era raro de acontecer, agora é praticamente nulo.

Outra novidade é a presença de um controle de temperatura de cor da tela. Antes restrito à linha Oasis, esse recurso permite gerenciar — também em 24 níveis — a cor da tela e alternar entre uma luz mais puxada para o azul ou amarela.

Essa função é muito útil para os leitores que têm o hábito de usar o Kindle antes de dormir, já que reduz ainda mais o cansaço da vista e diminui as chances de perder o sono.

Desempenho e experiência de uso

Novo Kindle Paperwhite está até 20 vezes mais rápido que seu antecessor (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

A versão comum do novo Kindle Paperwhite conta com exatamente a mesma memória interna que o leitor da geração passada. São 8 GB — quantidade mais do que o suficiente para armazenar milhares de ebooks.

A edição passada até tem uma versão com 32 GB, mas na nova linha isso fica restrito ao Kindle Paperwhite Signature Edition — dispositivo que conta com algumas exclusividades, como carregamento sem fio e brilho automático.

Esse armazenamento todo será mais útil quando — e se — a Amazon trouxer a plataforma Audible ao Brasil. Isso permitirá que o usuário ouça áudio livros direto do Kindle. Mas, como ainda não temos o serviço por aqui, não vou comentar muito sobre isso.

De volta ao desempenho, enquanto não houve “evolução” em relação ao armazenamento interno, notei uma melhora na performance geral. A Amazon garante que o novo modelo é até 20 vezes mais rápido que seu antecessor. Isso se converte na abertura mais rápida dos livros, menus e na troca de páginas.

Finalmente, graças a tela maior, temos mais conteúdo em uma única página no novo modelo. Isso ajuda a diminuir bastante as mudanças de “folhas” e o usuário perde menos tempo tocando no display.

Bateria e carregamento

Kindle Paperwhite agora conta com conector USB-C para carregar (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

A bateria sempre foi um grande atrativo para qualquer aparelho da linha Kindle. Seja a versão comum, a Paperwhite ou Oasis, é possível utilizar o leitor por semanas com uma única carga.

E o novo Kindle Paperwhite chegou para melhorar isso ainda mais. Apesar de não revelar qual a capacidade da bateria em miliamperes, a Amazon destaca que o modelo da geração passada tem uma autonomia de até seis semanas de uso. Já seu substituto, o Kindle Paperwhite (11ª Geração), pode chegar a 10 semanas.

A forma de carregamento também é inédita na nova geração e traz uma tecnologia que nem o Kindle Oasis tem ainda. Ao passo que todos os modelos até agora chegaram com micro USB para carregamento, o e-reader mais recente apresenta o USB-C.

O tempo de carregamento varia de acordo com as condições. O novo modelo, por exemplo, leva cerca de cinco horas para carregar completamente em uma porta USB do computador ou duas horas e meia se conectado na tomada com um carregador de 9W.

Já seu antecessor é mais rápido se carregado no computador — são necessárias cerca de quatro horas. Já na tomada a Amazon destaca que ele leva três horas, mas faz o comparativo com um carregador de 5W.

Kindle Paperwhite 11ª Geração ou Kindle Paperwhite 10ª Geração: qual é melhor?

Novo Kindle Paperwhite tem avanços que justificam preço elevado (Imagem: Rafael Damini / Canaltech)

Não há nenhuma dúvida que o Kindle Paperwhite melhorou muito na nova geração e, é claro, o modelo mais recente é muito superior ao seu antecessor.

Seu calcanhar de aquiles é o preço — ele custa nada menos do que R$ 649 no site oficial da Amazon, enquanto seu antecessor era encontrado por R$ 499 quando ainda estava disponível na página da empresa.

Mas, como é dito em seu review, as melhorias presentes no último modelo lançado fazem jus ao preço. Agora, temos um aparelho com tela e corpo maiores, enquanto as bordas estão bem reduzidas, o que nos dá um aproveitamento melhor do painel e-ink.

O avanço no desempenho também é grande e o Kindle Paperwhite 11 se destaca com uma navegação bem mais rápida e fluida. Além disso, ele também estreou na série custo-benefício um recurso que antes era exclusivo do Kindle Oasis: o controle de temperatura da tela, ideal para leituras noturnas.

Portanto, se o preço um pouco elevado não for uma preocupação, o Kindle Paperwhite 11 é a melhor escolha para leitores que querem ainda mais recursos em um e-reader.

Kindle Paperwhite 10 Kindle Paperwhite 11
Dimensões 167 x 116 x 8,18 mm 167 x 116 x 8.18 mm)
Tela 6 polegadas 6,8 polegadas
Resolução 300 ppi 300 ppi
Carregamento micro USB USB-C
Bateria 6 semanas de uso 10 semanas de uso
Resistência à água IPX8 IPX8
Armazenamento 8 ou 32 GB 8 GB ou 32 GB (somente Signature Edition)
Ajuste de brilho Sim, 24 níveis Sim, 24 níveis
Ajuste de temperatura Não Sim, 24 níveis

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Ofertas Kindle Paperwhite (11ª Geração)

  • Novo Kindle Paperwhite: tela de 6,8”, temperatura de luz ajustável e bateria de longa duração
    Amazon-
    Novo Kindle Paperwhite: tela de 6,8”, temperatura de luz ajustável e bateria de longa duração
    R$ 664,05