Bugs x Vantagens | Testamos o Controle Universal da Apple para Mac e iPad

Bugs x Vantagens | Testamos o Controle Universal da Apple para Mac e iPad

Por Felipe Junqueira | Editado por Léo Müller | 02 de Junho de 2022 às 14h49
Erick Teixeira/Canaltech

O Controle Universal atrasou um pouco, mas finalmente chegou de maneira oficial nos sistemas macOS e iPadOS. Com ele, você pode conectar até três dispositivos Mac e iPad — desde que tenha ao menos um computador — e controlar todos com os mesmos mouse e teclado.

Eu testei o recurso com um MacBook Air e um iPad Air. E constatei que, para quem trabalha com produtividade — grupo no qual eu me incluo —, a funcionalidade é muito bacana. Mas será que ela é tudo isso que a Apple prometeu?

Nos parágrafos a seguir, eu explico melhor o que é o Controle Universal, falo como ele funciona e conto um pouco da minha experiência com a novidade.

O que é o Controle Universal?

Trata-se de um recurso de sistema, ou seja, não precisa de nenhum aplicativo extra para funcionar. Você só precisa de dois ou mais dispositivos compatíveis, desde que seja um macOS 12.3 ou posterior, ou um iPadOS 15.4. E eles precisam estar logados no mesmo Apple ID.

Com o recurso, você pode transitar o controle via mouse e teclado entre os dispositivos ao arrastar o cursor para um dos cantos da tela. E é justamente nos ajustes de monitor que você consegue selecionar onde fica cada um.

O padrão é que o segundo dispositivo esteja à direita do principal, mas é possível alterar para colocá-lo à esquerda. Eu testei um iPad Air de 5ª Geração conectado a um MacBook Air M1, e arrastei o tablet para a esquerda. Assim, sempre que ele estava desbloqueado, era só arrastar o mouse para a esquerda para usar o iPad.

Já explicamos antes aqui no Canaltech o que é e como funciona o Controle Universal. Na matéria, listamos todos os dispositivos compatíveis, também.

O que eu posso fazer com o Controle Universal?

Com o Controle Universal, você não apenas compartilha os mesmos periféricos, como também facilita a transferência de arquivos. Além disso, a área de transferência de um pode ser utilizada no outro. Ou seja, dá para copiar trechos de textos ou mesmo de imagens de um para o outro.

Eu consegui até mesmo colar uma imagem copiada do Photoshop no MacBook para o Twitter no iPad, usando apenas o atalho de cópia e cola no teclado. Nem sempre esses comandos funcionaram perfeitamente: não consegui, por exemplo, copiar uma imagem no navegador do tablet para o Telegram no notebook.

MacBook encontra iPad próximo automaticamente quando todas as condições do Controle Universal estão certas (Imagem: Felipe Junqueira/Canaltech)

Porém, esse recurso já pode funcionar apenas com os dois dispositivos na mesma conta. A Apple permite até mesmo que você use a área de transferência do iPhone em um MacBook ou iPad. O Controle Universal só facilita a tarefa ao não precisar tirar as mãos do teclado para isso.

Em resumo, o recurso é só isso mesmo. Você não precisa parear um mouse e um teclado que já estão configurados no seu MacBook novamente no iPad ou em um segundo (ou terceiro) computador com macOS compatível.

O interessante é que a alternância entre os dispositivos é instantânea. Durante os testes, ficou a impressão de que o iPad era uma terceira tela do meu MacBook (eu já uso um monitor externo para não ficar refém do display de 13 polegadas do notebook).

Então o iPad vira um monitor externo?

Não. O iPad conectado a um MacBook pelo Controle Universal não é uma extensão de monitor do notebook. O tablet mantém sua própria interface e dá para usar os apps que nele estão instalados normalmente, no lugar de arrastar janelas como se fosse uma tela a mais.

Cursor do mouse viaja de um dispositivo para o outro pelo canto da tela (Imagem: Felipe Junqueira/Canaltech)

Existe outro recurso para transformar o iPad em um monitor externo, que é o Sidecar. E aí você pode espelhar a tela ou estender o desktop, e de fato o tablet perde a interface e os apps próprios. É bem diferente.

Eu sei que pode parecer um pouco confuso para quem não experimentou esses dois recursos por conta própria, mas pode confiar na minha experiência. E o mais interessante é que você pode escolher qual dos dois prefere, se tiver um computador com macOS e um iPad compatível.

Mas e os problemas?

Obviamente o Controle Universal não é um recurso à prova de falhas. A própria Apple já deixa claro que ainda é um recurso em beta, então há espaço para melhorias ainda.

O único problema real que eu experimentei durante os testes foi com uma atualização. O MacBook tinha uma nova versão do macOS para instalar, que deixei para fazer à noite, após o expediente. O iPad também recebeu um update, e eu fiz logo cedo. Grande erro.

Quando o tablet reiniciou, eu simplesmente não conseguia mais arrastar o mouse para ele. O iPad não aparecia mais nos monitores dentro dos ajustes do MacBook. Tentei desativar e ativar novamente todas as configurações necessárias para o Controle Universal funcionar, e nada.

Você pode trocar a posição de cada display nas opções de tela, dentro de ajustes do macOS (Imagem: Felipe Junqueira/Canaltech)

Até que resolvi ceder e atualizar o MacBook. Um processo que me tomou cerca de 20 minutos. Felizmente, o mouse voltou a sair à esquerda da tela do notebook para a direita do iPad, me dando novamente o controle do tablet pelo mouse e teclado conectados ao MacBook.

Outra questão é na configuração de teclado. Se você tiver um com layout diferente do padrão da Apple (Internacional, sem o Ç), precisa lembrar de fazer o ajuste no tablet, mesmo que no MacBook já esteja tudo certo.

Eu demorei a descobrir como fazer, até por não ter tanta familiaridade com iPad. Mas em Configurações > Teclado > Teclado físico, você consegue incluir o ABNT 2 ou qualquer outro que tiver em mãos. Aí a acentuação e pontuação vão funcionar exatamente como no macOS.

Claro que eu entendo que o público-alvo da Apple dificilmente vai ser como eu, que uso um teclado de Windows no MacBook. Mas foi um alívio descobrir que dava para arrumar, em vez de ficar tentando lembrar onde ficavam as teclas.

Controle Universal entre Mac e iPad: vale a pena?

Se você já tem ou está pensando e se organizando para comprar um MacBook e um iPad, acho que vale a pena aproveitar o Controle Universal. A simplicidade de usar ambos os dispositivos sem precisar se mexer na mesa para controlar cada um é uma baita mão na roda.

Verdade que não é um recurso indispensável e nem mesmo tão rico quanto parecia na apresentação da Apple. É literalmente apenas uma configuração nos dispositivos para permitir que o cursor do mouse viaje de uma tela para a outra, levando consigo o teclado.

Mas poder controlar o iPad ou mesmo um segundo Mac sem precisar reconfigurar mouse e teclado poupa bastante tempo. Você nem sequer precisa comprar os periféricos que já permitem alternância entre dois ou mais dispositivos, está tudo nativamente no sistema.

Em resumo, é um recurso que vem complementar uma série de outras funcionalidades que a Apple vem liberando para melhorar seu ecossistema. É um aliado muito bom para quem precisa de mais e mais dispositivos conectados para manter a boa produtividade.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.