Review Galaxy Tab A7 10.4 | Uma opção acessível de tablet Samsung

Review Galaxy Tab A7 10.4 | Uma opção acessível de tablet Samsung

Por Amanda Abreu | Editado por Léo Müller | 18 de Setembro de 2021 às 11h00
Ivo/Canaltech

A Samsung é conhecida por fabricar excelentes tablets, porém seus nomes causam um pouco de estranheza nos usuários na hora de escolher o mais poderoso, o melhor custo-benefício ou, meramente, o mais atualizado.

O Galaxy Tab A7 10.4 (2020) é um excelente exemplo, superior em tudo ao Galaxy Tab A8 de 2019; sim, um modelo "A7" é superior ao modelo "A8", deixando uma pista de que a Samsung poderia melhorar a nomenclatura de seus produtos, especialmente no caso deste bom tablet que é o Tab A7 10.4 (2020).

Nesta análise falaremos sobre um tablet projetado para uso horizontal, um acerto que combina design, melhor rendimento no consumo de mídias e até mesmo oferece uma posição melhorada da câmera frontal para videochamadas.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Prós

  • Preço competitivo;
  • Som excelente;
  • Bom aproveitamento de tela;
  • Conta com versões Wi-Fi e 4G + Wi-Fi.

Contras

  • Versões com pouco armazenamento interno;
  • Versões com pouca memória RAM.

Confira o preço atual do Samsung Galaxy Tab A7 10.4

Design e Construção

Feito predominantemente em metal, o Tab A7 passa segurança e solidez em sua construção. Seu corpo entrega uma experiência "topo de linha", bem distante do esperado para um modelo mais acessível da Samsung.

  • Dimensões: 247,6 x 157,4 x 7 mm
  • Peso: 476 g (com Wi-Fi) e 477 g (com 4G + Wi-Fi)

A traseira e a moldura do aparelho se unem em uma continuidade agradável, abrigando ao redor do Tab A7 os botões de volume, liga e desliga, conector de fones de ouvido, USB-C para carregamento e transferência de dados, entrada para cartão Micro SD (e, adicionalmente, chip de operadora na versão 4G).

Esse alumínio que envelopa o tablet é interrompido por uma discreta faixa de plástico na sua traseira, dando espaço para que as antenas do Tab consigam transmitir sinais e operarem corretamente; num olhar rápido é quase impossível detectar a presença desta parte "não metálica", porém está ali (bem integrada ao aparelho como um todo).

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Tela

Equipando a frente do Galaxy Tab A7 há uma grande tela TFT de 10,4 polegadas, ocupando 79% da frente do tablet. Não é apenas "tamanho", a resolução de trabalho dessa tela também é algo chamativo (e Positivo), rodando em 1200 x 2000 pixels (em aspecto 5:3), tecnicamente acima da resolução "Full HD".

Apesar de não contar com uma tela AMOLED, característica forte da Samsung para modelos mais premium de display, seria errado dizer que a tela TFT do A7 é de baixa qualidade ou decepcionante. É necessário observar lado a lado o tablet com um modelo mais avançado da própria Samsung para notar que "os pretos poderiam ser ainda mais pretos", por exemplo, deixando muito espaço para a correta afirmação de que há custo benefício na escolha para o tablet, entregando mais qualidade que o esperado para tantos outros modelos desse segmento de preço e economia.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Apesar de todo o equilíbrio em contraste e qualidade de cores, fica ainda nosso aviso para a finalidade do tablet: uso interno. Sua tela não é boa para competir contra ambientes muito iluminados ou com luz natural, frustrando o usuário com um brilho "insuficiente" para essas situações em que um painel mais caro e elaborado faria toda a diferença. Usuários de tablets para fins "domésticos" provavelmente nunca irão notar este "defeito", portanto, fica apenas nosso aviso sobre uma característica sobre a tela do Tab A7, nada mais.

Configuração e Desempenho

Apesar de oferecer um preço competitivo, o Tab A7 10.4 conta com um processador intermediário da Qualcomm, o Snapdragon 662, rodando o Android na versão 11. Nossa unidade de testes contava com 64 GB de armazenamento interno e 3 GB de RAM.

O processador que move o tablet foi lançado no final de 2019 para o início de 2020 tendo como foco rendimento intermediário, porém, ainda dentro do esperado para um aparelho que suporta jogos mais otimizados e todas as tarefas comuns do dia a dia.

Para nós é nítida a necessidade de mais memória RAM. A orientação do tablet praticamente convida o usuário a sempre utilizar todo o sistema na horizontal, ambiente mais confortável para o multitarefa. É nesse momento que faz bastante falta uma quantidade adicional de memória para afastar qualquer possibilidade de engasgo.

Essa falta não impede o uso do tablet, apenas limita a experiência. O processador presente no modelo é um limitador menor que a falta de memória, entretanto. Neste tablet, é mais provável que um aplicativo seja encerrado em plano de fundo para "poupar memória" do que seu jogo "pare de funcionar" por excesso de travamentos.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Jogos otimizados rodam dentro do "normal" no Tab A7, sendo poucos os ajustes de gráficos necessários para "descer" um pouco a qualidade a fim de prevenir quedas de performance.

Vale pontuar que, apesar do tamanho, peso e construção do tablet, há, como esperado, um modo de “uso infantil” por parte da Samsung, dada sua camada de customização sobre o sistema Android (a One UI). Assim como em outros modelos, basta puxar a barra de configurações rápidas no topo do sistema e localizar o botão "Kids", que inicializa o ambiente "Samsung Kids". Assim como no "Google Family Link" (que existe de forma nativa no Android), localizado na aba de configuração chamada "Controles parentais".

Ambos os modos permitem que o usuário (responsável pela criança) selecione quais apps, jogos e conteúdos poderão ser acessados pelo tablet, bem como por quanto tempo o aparelho poderá ser utilizado. Uma senha de bloqueio protege as configurações de ambos os modos.

Vale pontuar que essa observação não sugere que o Tab A7 serve apenas para uso infantil. Afinal, 3 GB de RAM estão meramente "abaixo do ideal" para um tablet moderno em 2021. A experiência de consumo de mídia, que é claramente o objetivo primário do dispositivo, é algo muito fluido e sem "lentidão desnecessária" ao escolher títulos e navegar pelos catálogos de mídia. Falta um pouco mais de "folga" para tarefas mais exigentes, porém nada que comprometa o uso menos exigente do aparelho.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Se você busca um tablet para assistir algo como Netflix, Prime Video, Disney+ e afins, faz todo sentido optar pelo Tab A7 de 10,4". Se a ideia é não gastar tanto dinheiro, mas ter uma experiência boa de imagem e som mesmo assim, este pode ser o modelo ideal para você.

Câmera

Na parte de trás do tablet temos uma câmera principal de 8 MP, capaz de capturar vídeos em até 1080p. As imagens produzidas por ela não são problemáticas, porém registram detalhes abaixo do esperado para fotografias "realmente importantes", sendo seu uso claramente voltado para fotografia casual e captura de documentos ou outros itens mais "sóbrios" e necessários no uso de um tablet durante o dia a dia.

Imagens com cores um pouco "lavadas" e granulação visível são características normais desta câmera, com qualidade "normal" e dentro do esperado para compartilhamentos corriqueiros em redes sociais, totalmente sem compromisso com imagens "dignas de serem impressas" e guardadas num álbum de família.

Câmera Frontal

Boa parte da nossa análise sobre a câmera principal do Tab A7 poderia meramente ser repetida aqui, descrevendo com precisão a câmera frontal de 5MP presente, também capaz de gravar vídeo em 1080p, porém ocorre uma diferença importante: o posicionamento da lente.

Contando com capacidade suficientemente boa para videoconferências, essa câmera é muito bem posicionada ao centro do tablet quando colocado na horizontal, permitindo um enquadramento correto e natural durante alguma atividade que envolva interação online entre duas pessoas, fato rotineiro para a realidade de 2021.

Assim como a câmera traseira, imagens granuladas são algo comum e esperado para o sensor frontal. Portanto, ambientes bem iluminados são necessários para que o desempenho de vídeo não seja comprometido.

Sistema de Som

Tablets topo de linha da Samsung oferecem, normalmente, uma experiência muito rica em áudio integrado com saídas múltiplas de som e muita engenharia em torno de "como" pequenos alto-falantes podem soar "mais alto" ou mesmo "mais poderosos" do que realmente são, utilizando técnicas e construções muito bem aplicadas pela Samsung nesse setor. Apesar de o Galaxy Tab A7 não ser um topo de linha, consegue surpreender nesse aspecto.

Contando com quatro alto-falantes ao redor do seu corpo, temos no Tab A7 uma experiência estéreo excelente, entregando duas saídas de som bem direcionadas para a esquerda e direita do tablet (e não na parte superior do aparelho, na frente ou ao lado da tela).

Vale lembrar que não é possível comparar a experiência do Tab A7 com outros tablets topo de linha da Samsung em termos de "fidelidade sonora". Afinal, há sim uma diferença ao ouvir o A7 e um Tab da linha S logo ao lado. Para o usuário básico ou intermediário, os alto-falantes do A7 podem parecer "a perfeição", porém precisamos deixar claro que existem soluções ainda melhores, feitas pela própria Samsung.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Uma nota importante sobre o conector de fones de ouvido (no padrão P2 de 3,5 mm): sua posição é, no mínimo, questionável. É necessário realizar o encaixe no "canto" do tablet e não ao centro de um de seus lados, tornando desagradável segurar o modelo quando conectado e posicionado na horizontal (em que a mão direita claramente "quebraria" o fio encaixado).

A impressão que temos é algo similar a "uma opção de emergência" e que não será usada em quase momento algum, tanto pela falta de lógica aparente no posicionamento, quanto pelo "problema" causado ao usuário por conta do incômodo encaixe "pendurado para fora" do aparelho, passando entre as mãos que tentam apoiar todo o conjunto.

Bateria e Carregamento

Contando com 7.040 mAh de bateria (não removível), o Galaxy Tab A7 10.4 entrega o esperado para um tablet em termos de energia e autonomia, ficando longe da tomada por muito tempo durante uso ativo.

Seu carregamento também dá conta do recado; ele não é lento como ocorre em modelos de entrada. O Galaxy Tab A7 10.4 oferece suporte ao carregamento rápido de 15 W, ajudando as primeiras etapas da recarga a entregarem mais horas de uso do aparelho para, caso necessário, o usuário interrompa o processo para utilizar o tablet imediatamente.

Concorrentes Diretos

Levando em conta sua faixa de preço (em torno de R$ 1.000, aproximadamente) e proposta, podemos indicar como opções mais simples e limitadas os modelos de tablet "Multilaser M10A" e "Positivo T770C 7P", porém com fortes ressalvas em tudo.

O Tab A7 é superior em praticamente todos os aspectos. Sua tela tem maior resolução, seu acabamento utiliza materiais de melhor qualidade e seu processamento é superior em relação aos concorrentes citados.

Conclusão

Com chegada ao mercado próximo ao final de 2020, o Galaxy Tab A7 10.4 (2020) é moderno, sem sombra de dúvidas. Ele não recicla conceitos, não reaproveita erros e não empurra nada para baixo do tapete: corta custos, mas mantém benefícios.

Sua capacidade é limitada para quem busca substituir um computador, porém entrega o suficiente para quem deseja ter uma "televisão móvel” para consumir mídia (e ocasionalmente jogar games leves e descompromissados).

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Pelo preço cobrado, o tablet entrega uma experiência superior a quase todos seus concorrentes de igual valor. Nosso aviso é: isso não significa que ele seja o melhor tablet que você pode comprar, nem mesmo o mais potente ou com a melhor tela. Tenha em mente que o valor "menos caro" também entrega "um pouco menos" em quase tudo.

E caso tenha se interessado no Galaxy TAB A710.4, confira abaixo um link para adquiri-lo com o menor preço:

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.