iPads e MacBooks com telas Mini-LED devem ser lançados em 2021, diz rumor

Por Diego Sousa | 08 de Maio de 2020 às 20h20
Chris Velazco/Engadget
Tudo sobre

Apple

Saiba tudo sobre Apple

Ver mais

Os novos produtos da Apple com telas Mini-LED deverão ser lançados apenas a partir de 2021. A informação foi revelada nesta quinta-feira (8) pelo analista Ming-Chi Kuo, conhecido por vazar informações a respeito da Apple e seus produtos, que explicou, em nota enviada a investidores, que as fábricas estão se preparando para começar a produção em massa de chips para telas Mini-LED no terceiro trimestre deste ano.

Sendo assim, a montagem do display aconteceria apenas nos últimos três meses do ano, com a fase final de fabricação, possivelmente, adiada para o começo de 2021. O motivo, segundo Kuo, não poderia ser outro: a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), que afetou a cadeia de produção ao redor do mundo — especialmente na China, país onde a COVID-19 nasceu.

Mini-LED promete ser mais barato e melhor do que o LED atual (Foto: Reprodução/Oficina da NET)

Apesar da possível mudança nos planos da Apple com a nova tecnologia, o analista se mostrou otimista em relação à adoção do Mini-LED a longo prazo.

"Acreditamos que os investidores não precisam se preocupar muito com a extensão do cronograma de Mini-LED, porque essa é uma tecnologia essencial que a Apple promoverá nos próximos cinco anos", comenta o analista. "Mesmo que o cronograma de curto prazo seja afetado pelo novo coronavírus, ele não prejudicará a tendência [de implantação do Mini-LED] a longo prazo", termina Kuo.

Em março, Ming-Chi Kuo havia informado que a Apple estaria desenvolvendo um iMac Pro de 27 polegadas, três modelos de iPad (tradicional, Pro e mini) e duas versões do MacBook Pro com a nova tecnologia de tela ainda para 2020. Na época, o analista disse que o desenvolvimento dos produtos não seria afetado pela COVID-19.

Como o nome já indica, a tecnologia Mini-LED pega os LEDs tradicionais e os torna menores. Na prática, isso significa imagens mais brilhantes e coloridas, além de níveis de contraste mais evidentes do que o LED tradicional. Além disso, com a tecnologia, os dispositivos teriam menos problemas como tela-fantasma, defeito que causa descoloração de uma parte da tela, bastante comum em visores OLED.

Fonte: Apple Insider  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.