Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Review Amazfit T-Rex 2 | O que já era bom ficou melhor

Por| Editado por Léo Müller | 21 de Julho de 2022 às 13h11

Link copiado!

Review Amazfit T-Rex 2 | O que já era bom ficou melhor
Review Amazfit T-Rex 2 | O que já era bom ficou melhor

O T-Rex 2 é o mais novo relógio da Amazfit a desembarcar no Brasil. Entre as principais características do smartwatch estão bateria de longíssima duração, mais de 100 modalidades de treino, suporte para controlar GoPro, construção robusta e tela AMOLED de alta resolução.

Será que vale pagar cerca de R$ 1.500 em um relógio como o T-Rex 2 ou é melhor apostar nos "smartwatches de verdade"? Eu usei o dispositivo por alguns dias e conto minhas impressões neste review!

Veja o preço do Amazfit T-Rex 2

Continua após a publicidade

Construção e design

O T-Rex 2 mantém a essência da linha ao trazer uma caixa revestida de “materiais poliméricos” e amortecedores laterais que promete resistir ao calor de 70 ºC, ao frio de -40 ºC, ao gelo e à chuva, além de 240 horas de umidade e 96 horas de borrifos de água salgada.

Infelizmente, ainda não pratico atividades físicas tão extremas que pudessem forçar o T-Rex 2 ao máximo, mas é bom saber que ele aguenta mais do que eu já esperava, que era apenas chuva, banho ocasionalmente e queda — inclusive, derrubei ele vários vezes no chão e não notei nenhum dano aparente em seu corpo.

O visual inspirado nos populares G-Shock também está presente e, em um primeiro momento, não parece haver diferenças em relação ao primeiro T-Rex. Mas, há, sim, alguns refinamentos estéticos que dão ao T-Rex 2 um design mais premium, embora nada marcantes.

A tela sensível ao toque se mantém, além dos quatro botões físicos — “Up” (para cima), “Down” (para baixo), “Select” (selecionar) e “Back” (voltar) — para navegação. Eles são feitos de metal com um acabamento áspero que difere do restante do corpo do relógio, embora mantenha a impressão de robustez.

Continua após a publicidade

O T-Rex 2 é grandalhão, mas, assim como o primeiro T-Rex, não me incomodou durante o dia. Eu só o achei avantajado demais para dormir, o que foi uma pena, já que ele tem um bom rastreamento de sono.

A pulseira, por sua vez, é de TPU, o mesmo de outros smartwatches e smartbands da Amazfit. Ela é confortável e, felizmente, não irritou minha pele.

Tela

A tela do T-Rex 2 tem 1,39 polegada, pouco a mais que a do T-Rex de primeira geração. A tecnologia AMOLED se mantém, assim como a resolução HD. A qualidade de imagem melhorou um pouco, principalmente na vivacidade das cores e na intensidade do brilho.

Continua após a publicidade

Além disso, praticamente todos os recursos do T-Rex foram mantidos no T-Rex 2, como o Always On Display, que exibe data e hora o tempo todo, como se fosse um relógio normal. Diferentemente do primeiro modelo, que não tinha muitos mostradores disponíveis, por aqui há mais opções, o que é muito bom.

É uma adição muito interessante e praticamente indispensável em qualquer smartwatch, mas é importante lembrar que essa funcionalidade consome bastante energia, já que a tela ficará sempre ligada.

O novo relógio traz um sensor de luz ambiente para detectar a iluminação do local e ajustar a luminosidade do display. É mais preciso que o do primeiro T-Rex. Vale destacar, ainda, o ótimo aproveitamento da parte frontal, apesar das bordas espessas.

Continua após a publicidade

Configurações e desempenho

O T-Rex 2 segue sendo menos inteligente que um smartwatch, porém é mais esperto que uma smartband comum. Ele é equipado com o ótimo Zeep OS, sistema operacional da Amazfit voltado para vestíveis.

O SO tem suporte a alguns aplicativos com funções mais limitadas, como o Notify For Maps, que permite visualizar o mapa direto do relógio. Também há o Notify For Big Notification, para ver notificações do celular no T-Rex com texto grande, e o Notify For GClock, que tem integração com o app do Google.

Continua após a publicidade

No entanto, todos esses aplicativos precisam de um aplicativo de terceiro para funcionar, no caso o Notify Lite for Smartwatches, onde quase tudo precisa da licença Pro. É uma função muito grande, sem contar com o dinheiro que precisa gastar, para fazer estas ferramentas funcionarem.

Outro app que não funciona direito é o Home Connect. Ele permite utilizar o relógio como controlador para eletrodomésticos conectados à plataforma Home Connect, porém a lista de aparelhos compatíveis não inclui as grandes marcas vendidas no Brasil.

Como a proposta do T-Rex 2 é ser seu companheiro de aventura, é possível conectar sua GoPro HERO 9 e HERO 10 a ele para controlar a câmera e alternar o modo de gravação. Essa funcionalidade, sim, é interessante e pode ser um diferencial para quem grava conteúdos mais radicais.

Continua após a publicidade

Com relação às funções básicas de smartband, o T-Rex 2 realiza todas, tais como controlar a reprodução de músicas, criar alarmes, temporizadores, encontrar o telefone caso ele esteja desaparecido em casa, tirar foto, consultar o tempo e até o calendário.

Interface e aplicativo

A interface do T-Rex 2 é a mesma do T-Rex, portanto repito os elogios nesta nova versão. As ferramentas de saúde e monitoramento são bem fáceis de encontrar, e a navegação é bem mais fluida. Você consegue visualizar mensagens e notificações no próprio relógio, porém não respondê-las.

A navegação com os botões físicos também é ótima, ideal em casos em que a tela touch for inviável — se você estiver com a mão suja de lama ou molhada, por exemplo. Eu usei bastante durante o banho e treino, já que o botão “Select” já te leva aos exercícios suportados.

Continua após a publicidade

O aplicativo Zeep, disponível tanto para Android quanto iPhone, também continua sendo destaque. Ele possui apenas três abas, sendo que a primeira exibe as informações sobre exercícios e saúde. Já a aba “Saúde” exibe metas e mais variedades de treino.

A aba “Perfil”, por sua vez, permite definir a frequência da medição dos batimentos cardíacos, personalizar a ordem dos ícones a serem exibidos no relógio, além de acessar todas as configurações do dispositivo. Tudo é bem simples e a tradução para o português é bem feita.

Alterar o mostrador do relógio também é muito simples e há muito mais que as 30 opções disponíveis no primeiro T-Rex.

Continua após a publicidade

Com relação à estabilidade da conexão, não tive muitos problemas ao pareá-lo com um Galaxy S21, mas o aplicativo Zeep ocasionalmente demorava para sincronizar com o relógio, fazendo com que os dados demorassem mais para aparecer no relatório.

Acompanhamento físico e de saúde

O Amazfit T-Rex 2 tem suporte para mais de 150 modalidades esportivas, incluindo variações de ciclismo, corrida, caminhada, natação, treinos ao ar livre, esportes indoor, combate e com uso de bolas. São tantas opções que tem espaço até para xadrez, jogo de damas e tabuleiro.

Apesar de trazer centenas de modos de treino, o relógio reconhece automaticamente apenas oito deles: corrida e ciclismo ao ar livre, esteira, caminhada outdoor e indoor, máquina de remo, elíptico, e natação em piscina.

Continua após a publicidade

Dos quais eu pude testar, como esteira, elíptico, caminhada interna e externa, o T-Rex funcionou perfeitamente bem. Nos casos de treino em ambientes externos, o GPS integrado também não apresentou problemas ou inconsistências nas rotas, o que é ótimo.

Todos os resultados do treino, tais como a média de batimentos cardíacos, calorias gastas, passos dados, distância, entre outros, podem ser vistos no app Zeep. No T-Rex, o rastreamento vai um pouco além e também avalia dados como consumo máximo de oxigênio, tempo de recuperação e carga de treino.

Em saúde, o que comanda é o sensor óptico BioTracker 3.0, que fornece monitoramento de frequência cardíaca, saturação de oxigênio no sangue (SpO2) e níveis de estresse. Com isso, você também consegue verificar a qualidade de sono e mudar a sua rotina para atingir uma maior pontuação.

Continua após a publicidade

Embora eu não tenha curtido dormir com o T-Rex, seu monitor de sono foi relativamente preciso. O sensor de batimentos cardíacos parece ter consertado o problema do primeiro T-Rex no rastreamento durante exercícios, que jogava muitas vezes a medição para baixo.

No geral, é um bom relógio para monitorar seus dados de saúde tanto durante exercícios como no dia a dia.

Bateria e carregamento

A bateria do T-Rex 2 tem 500 mAh, bem maior que os 390 mAh do T-Rex. Se a primeira versão já era excelente, o novo relógio conseguiu ser ainda melhor nesse departamento.

Nos meus testes — com brilho automático, análise de batimentos cardíacos a cada um minuto, registro de atividades físicas diariamente com GPS e notificações ativadas —, tive incríveis oito dias de utilização, o que é excelente. Caso você não faça muitos exercícios, é possível chegar ao décimo dia tranquilamente.

Obviamente, esse número deve diminuir conforme as funcionalidades ativadas. Por exemplo, se você utilizar o modo Always On Display diariamente aliado ao GPS integrado durante as atividades físicas, a autonomia de bateria deve cair drasticamente.

Com relação ao carregamento, temos o tradicional sistema magnético, o mesmo de outros smartwatches e pulseiras inteligentes da Xiaomi. Eu levei cerca de uma hora de meia para carregá-lo completamente, uma duração ok.

Concorrentes diretos

Relógios inteligentes no estilo G-Shock não são muito comuns no Brasil, portanto a linha T-Rex da Amazfit não tem concorrentes no mercado brasileiro. Mas, dá para citar algumas alternativas ao T-Rex 2 para quem procura um bom relógio para monitorar sua saúde e registrar atividades fitness.

Um deles é o Huawei GT3 de 46 mm, um relógio muito bonito e bem construído, com tela AMOLED HD maior que a do T-Rex 2. O sistema dele também é um pouco limitado, mas possui algumas ferramentas interessantes, como para lembrá-lo de beber água.

Com relação aos recursos de monitoramento, o Huawei GT3 consegue medir os níveis de oxigenação no sangue (SpO2), frequência cardíaca, qualidade de sono e estresse. Para quem pratica exercícios, o relógio suporta mais de 100 modalidades.

Seu preço é um pouco semelhante ao do T-Rex 2: cerca de R$ 1.500. Sua principal diferença em relação ao relógio da Amazfit é o design mais casual e elegante. Com isso, ele também perde na resistência, por isso vale considerar a sua preferência.

Vale a pena comprar o Amazfit T-Rex 2?

Dentre todos os smartwatches e rastreadores fitness que eu testei, considero o T-Rex 2 como o melhor companheiro para quem pratica esportes radicais, dos mais simples, como uma trilha, até uma escalada mais perigosa.

Ele evolui em praticamente tudo em relação ao primeiro T-Rex, como os sensores mais precisos, a bateria de maior duração, as opções de treino e a tela AMOLED HD. Ele também é bem bonito e deve agradar aos usuários que procuram relógios robustos e bem construídos.

Se eu tiver que apontar uma crítica para o T-Rex 2 seria o seu uso durante o sono, que não foi tão confortável quanto eu gostaria. No entanto, no dia a dia eu o utilizei e quase não sentia sua presença.

Os aplicativos disponíveis também não são as melhores coisas do T-Rex 2, mas eu não me importei tanto porque entendo que não se trata de um relógio propriamente inteligente, e sim um rastreador de exercícios e saúde mais completo.

No geral, considerando o seu preço sugerido no Brasil de R$ 1.499, acredito que o T-Rex 2 valha a pena para você que é aventureiro ou procura um relógio estilo G-Shock, porém mais esperto.