Review Garmin Fenix 6 Pro Solar | O relógio perfeito para atletas

Por Bruno Bertonzin | Editado por Léo Müller | 13 de Junho de 2022 às 10h43
Ivo Meneghel Jr/ Canaltech

A linha Garmin Fenix 6 apresenta alguns dos modelos de fitness trackers mais avançados do mercado. A fabricante já é bem comprometida em entregar relógios e pulseiras com bastante recursos para monitoramento de saúde e atividades físicas, e o Fenix 6 Pro Solar é um dos modelos mais avançados da marca.

Com monitor de oxigenação, frequência cardíaca e inúmeras opções de rastreamento de atividades físicas, o relógio se torna um dos mais indicados para atletas ou pessoas que se exercitam bastante, principalmente ao ar livre. Além disso, seu carregamento solar ajuda a aumentar ainda mais a vida da bateria.

Fenix 6 Pro Solar é uma das apostas mais avançadas da Garmin (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

Mas será que vale a pena pagar tanto por um relógio desses? Nesta análise levanto os principais pontos positivos e negativos do Garmin Fenix 6 Pro Solar e te ajudo a entender melhor se ele é um dispositivo para você.

Para importar produtos dos Estados Unidos que você não encontra por aqui, basta criar uma conta na USCloser. Você faz suas compras nos sites gringos normalmente, e a USCloser recebe por você lá nos EUA mesmo, em uma espécie de “caixa postal americana” criada exclusivamente para você. Depois, a USCloser encaminha os produtos para sua casa aqui no Brasil. É seguro, prático e rápido. Siga nosso tutorial para se cadastrar e comprar nos EUA economizando muito.

Prós

  • Bateria de longa duração
  • Vários tipos de monitoramento de saúde e atividades físicas
  • Carregamento solar

Contras

  • Sem touchscreen
  • Pagamento por aproximação bem limitado
  • Design bem pesado e um pouco desconfortável

Design e Construção

O Garmin Fenix 6 Pro Solar possui um design com caixa circular em duas opções de tamanhos: 42 e 47 mm. Aqui eu recebi a unidade maior, ou seja, de 47 milímetros.

O relógio tem um acabamento bem premium, com carcaça de titânio com revestimento em carbono tipo diamante. Isso resulta em um vestível bem pesado, com 72 gramas se somado à pulseira de silicone que acompanha o kit. Há ainda uma versão de aço inoxidável, que é ainda mais pesada, com 85 gramas.

Toda essa finalização pode causar um pouco de incômodo durante o uso, já que você sente bastante o relógio no pulso. Então, se você quer um aparelho mais confortável para a prática de exercícios, pode não ser uma boa ideia optar pelo Garmin Fenix 6 Pro Solar.

Fenix 6 Pro Solar tem design bem arrojado e pouco confortável (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

Como ele não tem controles por toques na tela, toda a navegação é feita por botões físicos. Para isso, o wearable tem um total de cinco teclas — são três no lado esquerdo e duas no lado direito. Na parte traseira encontra-se os sensores para acompanhamento físico e o conector para carregamento — sobre o qual darei mais detalhes mais para frente.

Por fim, as pulseiras são substituíveis, mas é preciso se atentar ao formato específico do modelo para adquirir um acessório compatível com o Garmin Fenix 6 Pro Solar.

Tela

O Garmin Fenix 6 Pro Solar possui uma tela colorida de 1,3 polegada com resolução de 260 x 260 pixels. Infelizmente, o display não é muito avançado e não possui controles por toques, mas entrega uma boa imagem e permite customizar bastante as watchfaces, que são os mostradores da tela principal.

No aplicativo, o usuário pode escolher entre várias opções, tanto para modelos analógicos quanto digitais, com muitas opções grátis disponíveis no catálogo.

Garmin Fenix 6 Pro Solar tem tela colorida, mas sem controle por toque (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

A iluminação, no entanto, é um pouco diferente do que vemos em relógios inteligentes comuns. Isso porque a tela não acende automaticamente quando você levanta o pulso. É preciso sempre apertar a tecla de luz. Durante o dia não deve ser problema, já que o painel capta a luz ambiente para exibir as informações com clareza, mas se quiser ver as horas durante a noite, vai ser difícil.

Um ponto positivo é o painel com lente Power Glass 1.4, que permite fazer o carregamento com energia solar — daí o nome do dispositivo. Mas falarei disso mais para frente.

Configuração e Desempenho

Assim como outros relógios e pulseiras da Garmin, o Fenix 6 Pro Solar não possui controles por toques na tela, então toda a navegação no dispositivo é feita pelos botões físicos espalhados ao redor da caixa. No começo, pode ser um pouco difícil entender e se adaptar a isso, principalmente se você já for habituado a smartwatches comuns.

Tirando essa parte negativa, o relógio possui diversas funções interessantes. Nele, o usuário pode definir despertadores, cronômetros, alertas e até responder mensagens recebidas no celular — com textos pré-programados, no entanto.

O Fenix 6 Pro Solar também conta com suporte para reprodução de músicas no Spotify ou outros serviços de streaming. Dessa forma, é possível sair para caminhar sem levar o smartphone, já que ele também tem GPS integrado. Para isso, é preciso conectar um fone de ouvido Bluetooth ao relógio, já que ele não possui alto-falante.

Garmin Fenix 6 Pro Solar oferece diversos recursos de forma nativa (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

Apesar da navegação ser um pouco complicada — já que não é touchscreen — a alternância entre as telas é bem rápida, e os apps e widgets abrem quase instantaneamente, sem lags entre o momento que o botão é pressionado e a função é executada.

Seu maior ponto positivo é o carregamento solar. Com a lente Power Glass 1.4, a Garmin promete que o relógio pode ter uma durabilidade muito maior da carga. No entanto, é preciso ficar bastante tempo exposto ao sol para que ele comece a carregar um pouco, então só é realmente vantajoso para quem faz muita atividade ao ar livre.

Acompanhamento Físico

O Garmin Fenix 6 Pro Solar possui diversas modalidades para rastreamento de atividades físicas, desde as mais básicas, como caminhada, corrida ou ciclismo, até as mais específicas, como escalada, ultramaratona, trilha ou atletismo.

Aqui, percebi que o acompanhamento dos exercícios é bem preciso e utilizei o relógio para monitorar mais caminhadas e corridas. O vestível mostra vários dados importantes sobre o percurso, como frequência cardíaca, ritmo de quilômetros por minuto percorrido, distância, tempo de atividade e quantas calorias foram eliminadas com a atividade.

Além disso, como o modelo conta com GPS embutido, ele mostra qual foi o trajeto realizado mesmo que o wearable não esteja pareado com o smartphone durante o percurso. Outro ponto interessante é que ele identifica os trechos de subida e mostra qual a distância e quantidade de elevação mínima e máxima.

Todos esses dados podem ser acompanhados no aplicativo Garmin Connect, no qual o usuário pode conferir praticamente todas as funções do dispositivo, bem como seu histórico pessoal.

Sensores presentes no Garmin Fenix 6 Pro Solar são bem precisos para rastreamento de atividades e monitoramento de saúde (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

Além disso, o relógio também oferece um medidor de “bateria corporal”, que identifica quando o usuário acordou e quais atividades foram feitas para dar um resultado de quanto de “carga” seu corpo ainda tem. Com isso, ele também pode dar uma estimativa de quanto tempo de descanso é preciso para retomar as energias antes de uma nova caminhada, por exemplo.

Outros acompanhamentos incluem um contador de passos, medidor de saturação de oxigênio no sangue (spO2), frequência cardíaca, monitor de sono e nível de estresse.

"O Garmin Fenix 6 Pro é o acompanhante perfeito para atletas e pessoas que passam muitas horas por dia fazendo atividades e exercícios físicos intensos, mas pode não ser o ideal para quem busca algo mais simples, que ofereça mais comunicação."

— Bruno Bertonzin

Conectividade

A Garmin não informa qual é a geração do Bluetooth do Fenix 6 Pro Solar, mas o dispositivo se conecta de forma bem rápida e simples com o celular. Para isso, é necessário baixar o aplicativo Garmin Connect, que gerencia não só este, como vários modelos de fitness trackers da marca.

Uma vez feita a conexão inicial, o relógio é reconhecido automaticamente pelo smartphone quando um estiver no alcance do outro e com o Bluetooth ligado.

Além do Bluetooth, o Fenix 6 Pro Solar também conta com Wi-Fi integrado e isso permite que ele seja ainda mais independente do smartphone. Ainda assim, é claro, é preciso fazer uma conexão inicial, mas não é obrigatório manter ambos conectados o tempo todo.

Garmin Fenix 6 Pro Solar oferece Bluetooth, Wi-Fi, GPS e NFC para pagamentos por aproximação (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

O Wi-Fi também permite baixar músicas em serviços de streaming para reprodução offline, então é possível sair para dar uma caminhada apenas com o relógio e um fone Bluetooth, deixando o celular em casa.

Outra conectividade importante presente no Garmin Fenix 6 Pro Solar é o GPS. Com ele, o usuário fica ainda mais independente do smartphone e pode sair para fazer atividades ao ar livre e, ainda assim, terá registrado no aplicativo todo o percurso realizado.

Por fim, também há uma etiqueta NFC para pagamentos por aproximação. No entanto, a funcionalidade é restrita, no momento, para clientes com cartão de crédito do banco BTG Pactual.

Bateria e Carregamento

Segundo a Garmin, o Fenix 6 Pro Solar tem uma bateria que pode durar até 14 dias no modo smartwatch — ou seja, com recursos de notificações e comunicações ligadas o tempo todo — e essa autonomia pode crescer para até 16 dias com o carregamento solar.

Por falar em carregamento solar, é importante deixar bem claro sua funcionalidade. Primeiro, é preciso que o relógio fique exposto por muito tempo ao sol para ele começar a “pegar” energia para carga. De qualquer forma, no entanto, esse carregamento é bem baixo.

Dito isso, dificilmente você verá a bateria do relógio aumentar quando você faz uma caminhada longa sob o sol. O que ele faz, na verdade, é prolongar um pouco a vida da bateria. Ou seja, ele provavelmente irá descarregar bem mais lentamente do que modelos tradicionais.

Garmin Fenix 6 Pro Solar tem carregamento por indução solar (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

Quanto à durabilidade, uma carga completa fez com que ele durasse cerca de 5 dias comigo. Mas preciso destacar que eu deixei todas as funções ativadas, como monitor de oxigenação e cardíaco 24 horas por dia e os alertas de notificações do celular. Além disso, ele ficou com Wi-Fi e Bluetooth ligados boa parte do tempo.

Quanto ao carregamento “comum”, o Garmin Fenix 6 Pro Solar tem um carregador próprio, que é exclusivo para os relógios da marca. O acessório não é magnético, como vemos em modelos de smartwatches comuns. Em vez disso, ele é plugado na parte de baixo da caixa, por meio de conectores padronizados.

Com isso, fica o alerta: se você perder o carregador, precisará adquirir um novo, já que não dá para usar carregamento sem fio ou cabos USB comuns.

"A bateria do Garmin Fenix 6 Pro Solar me surpreendeu bem e ele é capaz de passar muitos dias longe da tomada. Com o carregamento solar, essa duração fica ainda melhor, já que prolonga um pouco a vida do componente."

— Bruno Bertonzin

Concorrentes Diretos

O Garmin Fenix 6 Pro Solar é um fitness tracker quase sem concorrentes diretos, isso porque ele é um modelo muito “específico”, voltado especialmente para quem realmente pratica muita atividade física, para pessoas que fazem trilha, ciclismo, maratonas, expedições, etc.

Ainda assim, é possível colocar alguns modelos ao lado dele caso você esteja pensando em um acessório do tipo e queira ter mais opções de compra. Mas deixo claro desde já: nada de Samsung, Apple ou Amazfit — ele compete apenas com outras fitness trackers que são voltadas para atletas.

Dito isso, menciono dois possíveis concorrentes ao Fenix 6 Pro Solar: o Polar Grit X Pro e o Polar Vantage V2. Esses são modelos da mesma marca, a Polar, que chegam mais perto do que o que é oferecido pelo Fenix 6 Pro.

Garmin Fenix 6 Pro Solar compete com fitness trackers da Polar (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

Eles oferecem menos opções de monitoramento e rastreamento do que o rival mas, em compensação, são encontrados no Brasil por um preço bem mais acessível.

Enquanto a Garmin cobra cerca de R$ 8.700 pela versão mais simples do Fenix 6 Pro Solar, os dois Polar têm preços que variam de R$ 4.500 a R$ 4.600. Isso falando de lojas oficiais — o preço pode ser menor se importado ou comprado em outras lojas.

Mas essa diferença toda no preço é justificável: o Garmin tem monitor do nível de saturação de oxigênio no sangue, alertas de ritmo cardíaco irregular, Wi-Fi, sensor de temperatura e uma bateria de muito mais duração do que os “rivais”. Por outro lado, os relógios Polar oferecem uma tela sensível ao toque, algo que faz bastante falta no relógio desta análise.

Um relógio premium completo e excelente para atletas

O Garmin Fenix 6 Pro Solar é um dos fitness trackers mais avançados do mercado e está bem à frente da concorrência em termos de recursos para monitoramento de saúde e atividades físicas. Seus sensores conseguem captar com bastante precisão cada exercício e fazem dele o acompanhante perfeito para atletas que buscam algo mais avançado em rastreamento.

Sua bateria é outro aspecto positivo do acessório e, com o carregamento solar, fica ainda melhor, com uma carga que dura mais se você pratica bastante exercícios ao ar livre, como caminhada, corrida ou ciclismo.

Um ponto negativo, no entanto, é a ausência de uma tela touchscreen. Isso atrapalha um pouco se você estiver habituado a modelos com controles por toques no display. Mas não chega a ser um grande problema se você já está acostumado com fitness trackers nesse estilo.

Garmin Fenix 6 Pro Solar é uma ótima aposta para atletas e pessoas que se exercitam muito (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

Mas é importante deixar bem claro seu público alvo: ele não é um relógio para quem se exercita ocasionalmente e busca mais recursos de comunicação. Em vez disso, ele é mais indicado para atletas ou pessoas que fazem bastante trilhas, corridas e caminhadas, ou seja, quem realmente passa muitas horas do dia nestes cenários.

Do contrário, não vale a pena pagar mais de 8 mil reais em um aparelho que não irá lhe atender da melhor forma possível. Nestes casos, compensa mais apostar em um smartwatch “comum”, como os modelos fabricados pela Apple, Samsung, Amazfit ou Huawei, por exemplo.