WarnerMedia cogita vender a Crunchyroll para a Sony por US$ 1,5 bilhão

Por Claudio Yuge | 12 de Agosto de 2020 às 21h15
Crunchyroll

A semana anda agitada para os lados da AT&T, controladora do grupo WarnerMedia. Depois de anunciar demissões na DC Comics e no DC Universe, a companhia, que vem engordando os cofres para investir no HBO Max, agora estaria interessada em vender o streaming especializado em anime Crunchyroll para a Sony. Os valores, segundo três fontes do The Information, giram em torno de US$ 1,5 bilhão.

De acordo com os informantes, com essa aquisição a Sony poderia integrar a Crunchyroll como um complemente de sua plataforma de distribuição dedicada às produções orientais, o Funimation. Contudo, o preço potencial de US$ 1,5 bilhão está “bem acima dos valores recentes para outros serviços de streaming de nicho”, relatou o periódico, observando que a Sony “se recusou” a pagar tanto por um serviço voltado exclusivamente para fãs de anime — e seria justamente isso que estaria barrando a transação.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Reprodução/Crunchyroll

Um porta-voz da Crunchyroll se recusou a comentar sobre “especulações” sobre a possibilidade de venda. A Sony também não quer falar a respeito disso, por enquanto. A Crunchyroll, lançada em 2006, foi adquirida pela Otter Media em 2013 por cerca de US$ 100 milhões. Em 2018, esta empresa se tornou subsidiária integral da AT&T.

Com isso, a AT&T e a WarnerMedia continuam com a reestruturação de todos os seus ativos. Somente nesta semana, o conglomerado demitiu cerca de 600 funcionários e três executivos seniores na Warner Bros, fora as centenas de colaboradores e chefes que foram mandados embora da DC Comics e da plataforma DC Universe, que, assim, fica com os dias contados. A expectativa agora fica com a venda da Warner Bros Interactive Entertainment, divisão de games que também está à venda.

E para que tudo isso? Bem, segundo o CEO da WarnerMedia, Jason Kilar, a intenção do HBO Max é de tomar da Netflix o posto de líder mundial em streaming. E, para isso, a companhia terá que investir bastante em infraestrutura para atender o mercado internacional e, claro, em produções premium. Aliás, a estratégia do executivo é justamente levar o alto nível das séries da HBO para a nova plataforma — o que, segundo sua visão, é o que vai fazer a diferença para bater a concorrência.

Fonte: The Wrap  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.