Mastercard compra empresa de segurança CipherTrace para atuar com criptoativos

Mastercard compra empresa de segurança CipherTrace para atuar com criptoativos

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 10 de Setembro de 2021 às 23h00

Para combater as fraudes nos ambientes de cripto e blockchain, a MasterCard anunciou que vai adquirir a CipherTrace, que atua no segmento de inteligência, segurança e monitoramento de golpes relacionados a criptoativos. O valor da transação não foi divulgado, mas o objetivo da Mastercard é ampliar sua presença nesse mercado.

Conforme as criptomoedas e os tokens não-fungíveis (non-fungible tokens – NFTs) se tornarem mais presentes em pagamentos e investimentos, a garantia de segurança será essencial para a adoção massiva dessas opções. Por isso, será necessário ter soluções robustas e inteligentes para prevenir fraudes.

Ajay Bhalla, presidente de ciber e inteligência da Mastercard, avalia que os ativos digitais podem transformar o comércio e tornar as economias mais inclusivas e eficientes. “Com o rápido crescimento desse ecossistema, é preciso garantir que ele é confiável e seguro. Nosso objetivo é unir as capacidades da Mastercard e da CipherTrace para fazer isso.”

Imagem: Divulgação/Mastercard

A Mastercard vai usar a suíte de ativos digitais da CipherTrace em conjunto com suas próprias soluções de cibersegurança para oferecer mais transparência aos negócios. Além disso, vai ajudar empresa a administrarem as obrigações regulatórias e de compliance relativas a ativos digitais.

Pagamentos mais seguros e em tempo real

A partir da aquisição da CipherTrace, a Mastercard vai poder incorporar tecnologias e inteligência artificial em seus cartões para diferenciá-los dos concorrentes. Essa infraestrutura de pagamentos em tempo real vai possibilitar às empresas protegerem seus clientes ao mesmo tempo que cumprem a lei e constroem sua própria oferta de ativos digitais.

Após a operação, a CipherTrace vai continuar a atuar com seus parceiros, como fintechs, provedores de carteiras de criptomoedas e governos. Apesar de nenhuma das empresas ter revelado os termos do acordo, a negociação deve ser concluída até o fim do ano.

Fonte: TechRadar

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.