Jony Ive teria deixado a Apple “desanimado” com liderança de Tim Cook

Por Rafael Arbulu | 01 de Julho de 2019 às 10h22
Reprodução
Tudo sobre

Jony Ive

Saiba tudo sobre Jony Ive

Poucos dias após o anúncio da saída de Jony Ive da Apple, surgem especulações sobre o motivo de o lendário designer ter abandonado a empresa: ao que tudo indica, ele estaria descontente com Tim Cook, atual CEO da empresa, após este mudar o foco da gigante norte-americana do design para as operações empresariais.

Ive anunciou a sua saída da Apple na última quinta-feira, dia 27 de junho, após 30 anos na casa. O mero anúncio de sua saída foi suficiente para que a Apple perdesse US$ 8 bilhões em valor de mercado na Bolsa de Valores (queda de 0,87%). O designer vai abrir sua própria empresa, chamada de LoveForm, e deve continuar trabalhando com a Apple em algum grau.

Contudo, de acordo com reportagem do Wall Street Journal, não foi apenas o desejo de ter seu próprio negócio que levou Ive a deixar a empresa onde criou produtos icônicos, como o iPhone e o primeiro Apple Watch. Em matéria cujas fontes são ex-funcionários da Apple, o periódico norte-americano indica que Ive e Tim Cook não estavam mais nos melhores termos.

Segundo as fontes, a relação entre os dois executivos vinha se deteriorando desde 2015, quando saiu o primeiro Apple Watch. Desde então, dizem as fontes, o time de design de produtos liderado por Ive vinha se tornando mais e mais ausente dos novos lançamentos, cortesia de Cook “liderando a empresa com foco no mindset operacional”. Por causa dessas dificuldades ao longo dos anos, diversas pessoas deixaram a empresa.

Jony Ive (Dir.) e Tim Cook (centro) não estavam nos melhores termos e relação perturbada foi uma das razões que levaram à saída do designer, segundo fontes de jornal nos EUA (Imagem: Reprodução/ABC News)

O Wall Street Journal aponta um desânimo cada vez maior de Ive frente ao desinteresse de Tim Cook sobre o processo de desenvolvimento dos produtos. Isso explicaria, por exemplo, o motivo de Cook agir como se estivesse vendo alguns produtos pela primeira vez em eventos de lançamento. De acordo com o jornal, não era fingimento, e ele realmente não teria interesse em ver o produto antes de seu lançamento ou anúncio em eventos da Apple.

Mais além, Ive estava cada vez mais descontente com o fato de o quadro de diretores da Apple vinha sendo formado por pessoas cuja experiência profissional destoavam do que a empresa representava na era de Steve Jobs. A situação era especialmente evidente em discordâncias entre os diretores e o designer em relação ao Apple Watch: Ive queria que o marketing da Apple posicionasse o smartwatch como um produto da indústria da moda e não como uma extensão do iPhone.

Outros produtos são citados na matéria como momentos de tensão entre o design e o restante das operações, sobretudo o cancelado AirPower, dispositivo de recarga sem fio que a Apple havia prometido há anos e que foi oficialmente cancelado em março de 2019.

Apesar dos problemas que podem ou não ter levado Ive a deixar a empresa onde trabalhou por três décadas, parece que os negócios devem continuar normalmente. O Wall Street Journal ainda ressalta que a Apple deverá pagar “milhões de dólares” à LoveForm — empresa liderada por Ive e pelo designer Marc Newson — para continuar trabalhando com os produtos que a gigante tecnológica lançar no futuro.

Como já era de se esperar, nem Apple, nem Jony Ive comentaram a reportagem.

Fonte: Wall Street Journal

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.