Siga o @canaltech no instagram

Vendas da Apple no 4º trimestre de 2017 superam Samsung; Xiaomi cresce 97%

Por Redação | 02 de Fevereiro de 2018 às 15h57
Tudo sobre

Xiaomi

Saiba tudo sobre Xiaomi

Ver mais

Apple em primeiro, Samsung em segundo. No mercado de smartphones, as duas gigantes brigam pelas primeiras posições a cada trimestre, e a disputa se confirmou com a entrega dos balanços de 2017. Mas surgiu uma surpresa: a Xiaomi.

O relatório da IDC (International Data Corporation) confirmou que a Apple fechou o quarto trimestre de 2017 em primeiro lugar tanto em encomendas de smartphones como na divisão de mercado: foram 77,3 milhões de aparelhos vendidos em todo o mundo, o que dá para Cupertino uma fatia de 19,2% do mercado.

Já a Samsung ficou em segundo com 74,1 milhões de encomendas e 18,4% do mercado. Na sequência, aparecem Huawei (41 milhões de remessas e 10,2% de mercado) e a grande surpresa, a Xiaomi. O que impressiona é o crescimento da empresa chinesa: 96,9% do quarto trimestre de 2016 para 2017, o que a tirou da oitava posição e a levou para o quarto lugar do ranking.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A Xiaomi, aliás, apresenta números incríveis: 28,1 milhões de remessas, que representam uma fatia de 7% do mercado. Das três primeiras do ranking, ela foi a única que experimentou crescimento. Apple (-1,3%), Samsung (-4,4%) e Huawei (-9,7%) tiveram quedas nas encomendas de celulares na comparação dos trimestres.

Os resultados acompanharam a queda de remessas em todo o mundo. Foram enviados no quarto trimestre 403,5 milhões de aparelhos, uma baixa de 6,3% na comparação com a parte final de 2016. Apple e Samsung conseguiram se manter abaixo da média.

A Apple lançou os iPhones 8/8+ e terminou o trimestre em primeiro lugar

Balanço anual

No relatório que analisa as vendas de todo o ano de 2017, o ranking mostra algumas inversões.

A Samsung ocupa o primeiro lugar, com 317,3 milhões de remessas, que lhe dão 21,6% do mercado. A sul-coreana teve uma alta de 1,9% em relação a 2016.

A Apple passa para a segunda colocação, com 215,8 milhões de celulares e 14,7% do mercado — a variação para 2016 foi mínima, de 0,2%.

A Huawei mantém a terceira posição global, com 153,1 milhões de encomendas e 10,4% do mercado, uma alta considerável na comparação com 2016, de 9,9%.

Já a quarta posição fica com a chinesa OPPO, que vendeu 111,8 milhões de aparelhos e detém 7,6% do mercado. A empresa também cresceu no ano a ano: 12%.

Ainda no alto da tabela, mas em quinto lugar, a Xiaomi mostra números que indicam um crescimento que pode assustar os primeiros colocados. A chinesa teve vendas de 92,4 milhões, que lhe dão 6,3% do mercado. O que impressiona é o crescimento anual: 74,5%, taxa que nenhuma outra companhia conseguiu atingir.

No total, as remessas ficaram estáveis na comparação anual: foram 1,472 bilhão em 2017 contra 1,473 bilhão em 2016, queda de 0,1%.

Com o Galaxy S8, a Samsung conseguiu o primeiro lugar no ranking anual

Política agressiva

O crescimento da Xiaomi se baseia na decisão da empresa de crescer fora da China. Índia e Rússia já surgem como bons mercados para a companhia, sem contar que a Indonésia começa a se tornar rapidamente um país com fortes vendas para a Xiaomi.

Lojas e centros de antedimentos exclusivos ajudaram na expansão e colaboraram para o resultado uma política agressiva de preços. O Redmi 5A foi lançado a US$ 78 (cerca de R$ 250), enquanto parcerias com operadoras permitem a entrega de graça de um smartphone no caso de compra de um pacote de dados.

A Apple cresceu por conta de seus três lançamentos: iPhone X, 8 e 8 Plus. Como a Samsung lançou o Galaxy S8 no início do ano, o resultado do quarto trimestre já era esperado.

Já a Huawei vai se segurando em terceiro lugar, mesmo com a competição, até este momento, da OPPO e da Vivo — agora, tem a Xiaomi no retrovisor. Entrar no mercado americano é a esperança de crescimento.

Fonte: GizChina

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.