Rumor | Tesla procura um segundo em comando para aliviar pressão sobre Elon Musk

Por Rafael Arbulu | 17 de Agosto de 2018 às 14h30
Divulgação
Tudo sobre

Tesla

Saiba tudo sobre Tesla

Ver mais

Elon Musk não está bem. Nos últimos meses, o CEO da Tesla vem apresentando um comportamento relativamente errático que lhe gerou problemas perniciosos, tal qual noticiamos ontem quando o governo dos Estados Unidos lhe intimou a prestar explicações sobre um tweet alegando intenção de tornar a Tesla uma empresa de capital 100% fechado.

A razão disso pode ser uma que afeta a ricos e pobres: estresse decorrente do trabalho. Segundo entrevista concedida ao New York Times, Elon Musk reconheceu o último ano como “o mais desafiador de sua carreira”, ao ponto de “amigos ficarem genuinamente preocupados” com sua saúde física e mental.

Por esse motivo, a Tesla estaria em busca de um segundo em comando — um COO — para dividir as responsabilidades operacionais atualmente concentradas em Elon. O CEO da Tesla admite que houve uma sondagem há alguns anos, mas nega que tal busca exista neste momento (a executiva sondada foi Sheryl Sandberg, do Facebook).

Elon Musk pode estar trabalhando demais, segundo entrevista do próprio à imprensa americana. Rumores apontam para a busca de um COO para dividir responsabilidades

Musk disse na entrevista, que durou uma hora por telefone, que tem trabalhado cerca de 120 horas por semana, por vezes dormindo no escritório até mesmo no seu próprio aniversário, além de quase não ter conseguido comparecer ao casamento do irmão Kimbal Musk, em julho deste ano. Questionado se o estresse não está afetando a sua saúde, Elon respondeu: “Olha, não está sendo muito bom para mim. Alguns amigos me visitaram por terem ficado preocupados”. Fontes do Times ainda dizem que há uma preocupação na diretoria sobre o uso contínuo do CEO do medicamento Ambien (um forte sedativo usado em pacientes que sofrem de insônia).

O executivo explicou a cadeia de eventos que o levou a tweetar o famigerado post polêmico — aquele em que ele sinalizou ter a intenção de fechar o capital da Tesla, com ações valendo US$ 420 dólares por papel, e alegou já ter fundos garantidos para isso. Musk referia-se ao fundo de investimentos do governo da Arábia Saudita, com quem a Tesla vem mantendo reuniões recorrentes. Contudo, Musk e fontes na direção da empresa disseram ao jornal que o fundo saudita não se comprometeu com nenhum valor e conversar sobre adquirirem parte da Tesla eram uma infeliz especulação causada pelo tweet em questão, o qual Elon Musk admitiu não ter sido revisado ou aprovado por ninguém (ele publicou o tweet a caminho do aeroporto para visitar a Gigafactory, uma das plantas da Tesla no estado de Nevada e que produz baterias solares).

Musk, porém, disse que não se arrepende de ter publicado o tweet, garante não ter sido abordado por nenhum “diretor irado” por causa dele, e reafirma que continuará sendo presente na rede de microblogs. “Por que (eu me arrependeria)?”, ele disse. O tweet gerou uma intimação por explicações do governo dos Estados Unidos após verem as ações da Tesla subirem demais no pregão da Bolsa — algo que atraiu suspeitas e olhares cautelosos no mercado. Elon Musk e alguns membros do comitê de direção da Tesla devem se encontrar com os órgãos responsáveis na próxima semana.

Fonte: The New York Times

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.