Nubank busca bancos para auxiliar seu IPO em bolsa de valores dos Estados Unidos

Nubank busca bancos para auxiliar seu IPO em bolsa de valores dos Estados Unidos

Por Felipe Gugelmin | Editado por Claudio Yuge | 22 de Junho de 2021 às 20h30
Divulgação/Nubank

Pouco após levantar R$ 3,7 bilhões em sua rodada de investimentos mais recente, o Nubank já trabalha nos preparativos para realizar sua oferta inicial de ações (IPO) nos Estados Unidos. Fontes próximas à empresa afirmam que já houve a solitação de propostas a alguns bancos para que eles coordenem o processo, que já estaria bastante avançado.

Embora o CEO da empresa, David Vélez, tenha afirmado neste mês que o IPO fazia parte de seus planos futuros, ele não havia detalhado quando isso acontecereia. Fontes consultadas pela Reuters indicam que as avaliações em andamento atribuem à fintech uma avaliação que supera os US$ 40 bilhões no momento. A rodada mais recente de investimentos já colocava o valor da empresa em US$ 30 bilhões.

Imagem: Divulgação/Nubank

Caso tudo prossiga conforme o desejado pela empresa, ela pode abrir seu capital na bolsa de valores norte-americana no final de 2021 ou no início do próximo ano. Como tudo ocorre de forma confidencial, o Nubank não fez qualquer comentário sobre o assunto e as fontes ouvidas preferiram se manifestar de forma anônima.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A previsão é que o IPO da fintech resulte em uma das maiores estreias já vistas para uma empresa sul-americana, se equiparando em valor a outras ofertas bastante esperadas, como o app de investimentos Robinhood.

Fundada em 2013, a organização possui mais de 40 milhões de clientes — a maior parte deles no Brasil — e já se configura como o maior banco virtual do mundo. Além do Brasil, o Nubank também oferece seus serviços para o México e a Colômbia e expandiu recentemente sua cartela de produtos com a aquisição da corretora Easyvest. Além do cartão de crédito e débito que se tornou sua marca, a empresa também oferece conta bancária digital, opções de renda variável e investimentos para clientes dos mais diferentes tipos de perfil.

Fonte: Estadão

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.