Publicidade

Musk acusa anunciantes de chantagem e diz que Twitter pode acabar

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 30 de Novembro de 2023 às 12h31

Link copiado!

Duncan Hull/Wikimedia Commons
Duncan Hull/Wikimedia Commons
Elon Musk

Elon Musk xingou os anunciantes do X, antigo Twitter, e os acusou de chantagem antes de afirmar que a falta de propagandas na rede social pode significar o seu fim. Durante fala em evento promovido nos EUA, o dono da plataforma disse estar sendo boicotado após uma polêmica envolvendo suposto apoio a falas antissemitas, que ele nega e xingou: "vão se f...."

Quando questionado se uma recente viagem a Israel funcionou como pedido de desculpas às acusações, Musk disse que espera que as empresas deixem de anunciar no X. Na sequência, veio o xingamento, relacionado à ideia de que as corporações estariam usando o dinheiro destinado à publicidade como uma forma de o chantagear.

O recado, aliás, tinha destinatário: alguém chamado Bob que, segundo a imprensa internacional, seria o CEO da Disney Bob Iger. O executivo foi um dos primeiros a divulgar a retirada dos anúncios do X, afirmando que a plataforma não promovia uma associação positiva com a marca.

Continua após a publicidade

A consternação do repórter Andrew Ross Sorkin, que apresentava o evento DealBook Summit, do jornal The New York Times, só aumentou após a pergunta seguinte, sobre como funcionaria a economia do X sem publicidade. A resposta de Musk foi clara, indicando que a plataforma corre o risco de acabar caso os anunciantes deixem de colocar dinheiro.

De acordo com o bilionário, esse processo de boicote será documentado de forma detalhada e exposto para todo o mundo ver. Ele ainda disse acreditar no apoio da opinião pública para a ideia de que não foi ele, e sim os anunciantes, os responsáveis por um possível fim do X.

Resposta a tuíte foi “estúpida”, diz Musk

Continua após a publicidade

Após esbravejar, o dono do X admitiu o problema em seu endosso a um comentário visto como antissemita. Para Musk, a atitude foi uma das coisas mais estúpidas tomada por ele na plataforma. O executivo pediu desculpas e disse que não foi sua intenção ser antissemita.

Ainda na visão dele, a postagem serviu como uma "arma carregada" para que seus detratores pudessem acusá-lo de preconceito. Mais uma vez, ele criticou a mídia, que teria ignorado seus esclarecimentos e comentários adicionais sobre o caso, e ponderou que tais colocações deveriam ter sido feitas no momento da publicação.

Toda a polêmica deve lançar ainda mais negatividade sobre os números do X, que vêm em queda desde que a plataforma foi comprada por Musk. De acordo com os dados mais recentes, a plataforma teve uma desvalorização de 55% no último ano, valendo menos da metade do que o valor pago pelo bilionário em outubro do ano passado.