Intel revela seu novíssimo processador Broadwell-E com 10 núcleos

Por Redação | 31 de Maio de 2016 às 07h09

A Intel anunciou, na Computex 2016, o processador desktop mais potente já desenvolvido: o Broadwell-E Core i7 com 10 núcleos. Poderosíssimo, ele tem capacidade de atingir os 3,5 GHz com Turbo Boost 3.0 e custará US$ 1.723. “Ele transformará a maneira que as pessoas jogam, trabalham e criam”, disse Gregory Bryant, vice-presidente da Intel.

Ao utilizar o Broadwell-E, a máquina será capaz de realizar 20 tarefas simultâneas (duas por núcleo) e trará ao usuário doméstico o conceito de mega-tasking, indo muito além do multi-tasking utilizado atualmente. “Multi-tasking é basicamente a habilidade de alternar entre aplicações não relacionadas. Você pode estar trabalhando no Power Point e então alternar para o navegador ou rodar um vídeo, mas nenhuma dessas atividades está relacionada uma a outra. Quando falamos sobre mega-tasking, estamos falando sobre cargas de trabalho alinhadas e acontecendo simultaneamente com um propósito”, explicou Frank Soqui, gerente geral do Enthusiast Desktop Group da Intel.

Intel Broadwell-E Core i7

E engana-se quem pensa que o mérito desse processador está apenas na quantidade de núcleos: a Intel utilizou a tecnologia “Turbo Boost Max 3.0”, que testa o chip individualmente para identificar quais de seus núcleos está fisicamente mais veloz, já que variações suaves na fabricação desses componentes podem fazer com que alguns núcleos apresentem uma performance melhor do que outros. Sendo assim, com essa tecnologia, o processador é capaz de delegar aos núcleos mais rápidos as operações mais “pesadas”, garantindo o máximo aproveitamento de sua capacidade.

Com a chegada do novo processador da linha Extreme Edition, a Intel mira os usuários conhecidos como “power users” de elementos gráficos, como gamers e desenvolvedores de jogos, bem como fãs de realidade virtual e criadores de conteúdos gráficos pesados. Por exemplo, um usuário que estiver curtindo um jogo com resolução 4K conseguirá fazer um streaming simultâneo em Full HD pelo Twitch ao mesmo tempo, sem que a máquina “sofra” no processo.

Já os usuários profissionais, que trabalham com desenvolvimento gráfico, ficarão impressionados com a capacidade dessa placa de acelerar sua performance em até 35% na renderização de vídeos 3D, 25% na edição de vídeos com o Adobe Premier e 20% no HandBrake em comparação com a performance obtida com o processador Core i7-5960X lançado no início do ano passado.

Fonte: Intel, The Verge, CNET