Há 17 anos, Steve Jobs inaugurava primeira Apple Store do mundo

Por Wagner Wakka | 15 de Maio de 2018 às 18h30
photo_camera Captura/Youtube
TUDO SOBRE

Apple

Steve Jobs é conhecido como o cara que criou a Apple, sendo ele o grande responsável por transformar a empresa no que ela é hoje. Em 15 de maio de 2001, ele entrava pela primeira vez em uma Apple Store localizada na Califórnia.

Há 17 anos, a empresa abria as duas primeiras lojas na cidade, número que cresceu para mais de 500 Apple Stores em 20 países. A empresa, com um novo modo de apresentar aparelhos até então muito distantes do usuário, modificou totalmente o mercado de aparelhos eletrônicos.

Até então, não se imaginava uma loja para uma única e específica marca. Até o início deste milênio, computadores da empresa eram apenas vendidos em  grandes lojas e cadeias de mercados. Ou seja, havia um pequeno espaço dedicado a eletrônicos que se confundiam com aparelhos de som, televisores e, claro, computadores como os da Apple. Entretanto, isso criava o problema de especialização de pessoal para explicar que aparelho era aquele e como ele funciona.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Para melhorar esta relação com o consumidor, propôs-se uma relação de “store within a store” (ou "loja dentro da loja", em uma tradução livre). Isso quer dizer um acordo com uma loja a qual cede um espaço exclusivo para produtos somente de uma determinada marca dentro do estabelecimento. Com isso, a Apple poderia colocar funcionários especificamente para explicar como funcionavam seus produtos. Daí, a empresa passou para o seu modelo de loja física própria.

Em famoso vídeo disponível no YouTube, Steve Jobs mesmo explica como era montada a primeira loja. Ela era dividida em quatro setores. O primeiro, diz Jobs, apresenta a parte “Home” da Apple, com os aparelhos indicados para uso doméstico. Do outro lado, os computadores com capacidade profissional. “Todos os produtos que nós já fizemos estão nestes 25% da loja, você consegue ver toda a linha de produtos”, explica.

Ele ainda ressalta que todos os computadores da loja estão conectados à internet, uma qualidade de destaque de um passado não tão distante assim.

O meio da loja, mostra Jobs, é o espaço em que a empresa apresenta soluções aos seus consumidores. “Porque pessoas não querem simplesmente mais comprar computadores pessoais, mas sim saber o que elas podem fazer com isso”,  pontua. A região mostra programas relacionados a música, filmes e até alguns voltados ao universo infantil.

Por fim, a última parte da loja é voltada para acessórios. Bom, não pense que estamos falando de cabos e adaptadores, como acontece atualmente. Jobs começa a mostrar câmeras digitais de vídeo, por exemplo. Ainda, ele mostra o famoso “Genius Bar”, um espaço semelhante a um balcão de bebidas, mas voltado a tirar dúvidas dos clientes.

As duas primeira lojas abertas na cidade já tiveram uma longa fila de mais de 500 pessoas. Só no primeiro dia, os estabelecimentos tiveram juntos mais de 7.700 visitantes com um total com um total de US$ 599 vendidos em um dia.

“Estamos impressionados com os números. Mais importante, os clientes nos disseram que amam tudo sobre a loja – desde a equipe de vendas experiente, até a Genius Bar, até o design da loja e a abordagem exclusiva de apresentar soluções de estilo de vida digital", relata Jobs em release oficial ainda disponível no site da Apple.

Fonte: Apple

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.