Fabricantes chinesas são responsáveis por 32% dos celulares enviados à Europa

Por Thaís Augusto | 14 de Fevereiro de 2019 às 19h32

As fabricantes chinesas de smartphone estão crescendo na Europa. Em 2018, Huawei, OPPO, Xiaomi e outras passaram a responder por 32% dos aparelhos que são enviados ao continente. Os dados são da empresa de análise de mercado Canalys.

Entre 2017 e 2018, a porcentagem de envio de aparelhos asiáticos para o continente cresceu 8%. É o crescimento mais acelerado dos últimos anos.

O movimento das empresas chinesas para entrar no mercado europeu já havia sido notado: no ano passado, Huawei e OPPO realizaram grandes eventos em Paris, na França, enquanto a Xiaomi conseguiu expandir sua popularidade em alguns países.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

No geral, a Huawei aparece como a fabricante com a terceira maior fatia do mercado (23%). A chinesa só fica atrás da líder Samsung (28,7%) e da Apple (26%).

No parâmetro mundial, a Huawei ultrapassou a Apple e tornou-se a segunda maior fabricante de smartphones do mundo em 2018. Já a Samsung permanece líder do setor, mas perdeu 2% em fatia de mercado. A conclusão foi da consultoria de análise IDC.

Em 2018, a Huawei não teve tanto sucesso assim nos Estados Unidos: a chinesa sofreu resistências de transportadoras locais e legisladores. Mas a dificuldade acabou contribuindo para a expansão da empresa na Europa, segundo o analista da Canalys, Ben Stanton.

“A situação política entre as empresas chinesas e o governo dos Estados Unidos beneficiou os consumidores europeus. A administração americana está fazendo com que as empresas chinesas invistam na Europa. O mercado europeu está maduro e as taxas de reposição aumentaram, mas há uma oportunidade para que as marcas chinesas ultrapassem as líderes de mercado. Empresas como Huawei e Xiaomi trazem uma competição de preços que surpreendeu seus rivais", disse ele.

Em 2018, a Samsung sofreu uma queda de 10% no número de celulares enviadods ao continente europeu. Foi a maior queda entre as fabricantes. A Apple também não se saiu bem, registrando uma redução anual de 6%.

Segundo estimativas da Canalys, a Maçã terminou o ano com 42,8 milhões de iPhones enviados à Europa, um pouco acima dos 42,5 milhões de dispositivos da Huawei. Se a tendência se concretizar, a Huawei provavelmente garantirá o segundo lugar atrás da Samsung na Europa no começo deste ano.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.