Como cadastrar chaves do Pix no seu banco

Por André Lourenti Magalhães | 05 de Outubro de 2020 às 17h30
Canaltech (Mockup: Freepik)

Nesta segunda-feira (05), o Banco Central disponibilizou o cadastro para chaves do Pix, o novo sistema de pagamentos para transações digitais. De acordo com o BC, são 644 instituições financeiras que já podem receber o registro dessas chaves. Em setembro, consumidores puderam realizar o cadastro para adesão ao Pix, e o lançamento oficial do serviço ao público geral está previsto para o dia 16 de novembro.

As chaves do Pix são os métodos de identificação para realizar pagamentos pelo sistema. Dessa forma, não é necessário informar agência e conta bancária para receber uma transferência. É possível vincular para uma chave o CPF, o número de celular, o endereço de e-mail ou criar um código aleatório. No entanto, duas instituições diferentes não podem gerar chaves a partir dos mesmos dados: se você utilizou o CPF em um banco, é necessário usar o telefone, o endereço de e-mail ou código personalizado em outra instituição.

De forma geral, o processo para o cadastro das chaves é similar. Cada instituição financeira exibe um ícone de acesso ao Pix em seus respectivos apps, prosseguindo para o gerenciamento dessas chaves. Veja, abaixo, o passo a passo. O procedimento foi feito através do aplicativo da Nubank.

Pix: como realizar o registro de chaves

Passo 1: abra o app da instituição financeira de sua preferência. É possível encontrar um ícone do Pix na tela principal ou no menu de ações. Pressione-o para continuar;

Acesse a aba do Pix no aplicativo de seu banco ou instituição financeira (Imagem: André Magalhães/Captura de tela)

Passo 2: se você já realizou o cadastro no Pix, selecione a opção para registrar uma chave;

Cadastre uma chave para poder realizar pagamentos (Imagem: André Magalhães/Captura de tela)

Passo 3: em seguida, escolha entre usar CPF, número de celular, endereço de email ou uma chave aleatória. O app utilizará os dados informados no cadastro inicial, aberto em setembro;

Escolha qual dado utilizar como chave (Imagem: André Magalhães/Captura de tela)

Passo 4: confirme a opção desejada para cadastrar sua chave. O aplicativo enviará para registro e informará quando o processo estiver concluído.

Confirme o registro (Imagem: André Magalhães/Captura de tela)

Nos demais aplicativos de bancos, o caminho é semelhante ao passo a passo mencionado acima. No Itaú, representado na captura abaixo, o Pix é encontrado no menu de ações, seguindo para o cadastro das chaves usando as opções de cadastro.

Exemplo de aba para acesso ao Pix no Itaú (Imagem: Felipe Freitas/Captura de tela)

Pelo Santander, a opção do Pix é encontrada ao abrir o menu lateral do aplicativo. Selecionando a aba, é possível gerenciar e registrar suas chaves.

Exemplo da aba do Pix no aplicativo do Santander (Imagem: André Magalhães/Captura de tela)

O Banco do Brasil já possui uma área dedicada ao Pix, com espaços para os pagamentos. Entretanto, essas funções só serão liberadas em novembro. Para acessar, siga o ícone na tela inicial.

Página do Pix no Banco do Brasil (Imagem: André Magalhães/Captura de tela)

Pelo app da Caixa, basta selecionar o ícone do Pix no menu do Internet Banking. Em seguida, os usuários poderão fazer o cadastro de chaves.

Tela de cadastro de chaves no app da Caixa (Imagem: Bruno Salutes/Captura de tela)

Aplicativos de pagamentos, como o PicPay, também possuem suporte ao novo sistema. No app, é possível visualizar um ícone do Pix na tela inicial, redirecionando ao registro.

Apps de pagamento também receberam a opção (Imagem: André Magalhães/Captura de tela)

No MercadoPago, a opção também é disponibilizada na tela inicial. Pressione o ícone para avançar à tela de registro de chaves.

Ícone do serviço no MercadoPago (Imagem: Bruno Salutes/Captura de tela)

O PagBank, aplicativo de pagamentos da plataforma PagSeguro, disponibiliza uma aba em sua tela inicial que redireciona ao cadastro.

PagBank disponibiliza cadastro (Imagem: Felipe Freitas/Captura de tela)

Para conferir a lista completa de instituições que aderiram ao sistema de pagamentos, clique aqui.

Pix: vantagens e como funciona

A grande diferença do Pix para o DOC e o TED consiste na possibilidade de realizar transferências de dinheiro a qualquer dia e hora, fazendo com que o recebedor tenha acesso ao dinheiro na conta poucos segundos após a transação. Além disso, o procedimento é simplificado graças às chaves: basta ter acesso a uma delas para completar uma transferência.

O Banco Central determina que não pode haver cobrança de tarifas em transferências entre pessoas físicas. Para pessoas jurídicas e em outras circunstâncias, os bancos poderão cobrar uma taxa por transferência. Para saber mais sobre os usos e pagamentos do Pix, tire as dúvidas aqui.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.