Amazon entra oficialmente no mercado de processadores

Por Redação | 07 de Janeiro de 2016 às 12h24

A Amazon entrou oficialmente no mercado de semicondutores com a notícia de que está vendendo sua própria marca de chips baseado em ARM. A nova linha de chips se chama "Alpine" e será destinada para serviços digitais da próxima geração de casas conectadas.

A novidade é fruto de uma aquisição da Amazon, que no ano passado comprou a israelense Annapurna Labs por supostos US$ 350 milhões. A startup foi fundada em 2011 e sabe-se que ela estava trabalhando na criação de "processadores ARM para data centers que transmitem mais dados e consomem menos energia".

De acordo com o comunicado de imprensa divulgado pela empresa, a Amazon vai vender, essencialmente, semicondutores para as OEMs (fabricantes do equipamento original) e fornecedores de serviços relacionados que podem abranger roteadores Wi-Fi, streaming de dispositivos, gateways domésticos e dispositivos dedicados ao armazenamento de dados em rede.

"Com o rápido crescimento do mercado de aplicativos para casas, novos casos de uso e necessidades estão sendo inventados e adotados", disse Gary Szilagyi, vice-presidente de Annapurna Labs. "Para se manter competitivos, os provedores de serviços e as OEMs precisam oferecer rapidamente suporte para os novos recursos que dão aos consumidores a capacidade de apreciar os mais recentes aplicativos sem alterar hardwares ou esperar meses para obter um software atualizado. Nossos chips Alpine dão aos prestadores de serviços e OEMs uma plataforma de alto desempenho onde eles podem projetar hardwares que irão suportar a crescente demanda dos consumidores por serviços inovadores, conectividade rápida e muitos dispositivos conectados".

A Amazon já vende uma das principais plataformas de computação na nuvem, a Amazon Web Services (AWS), e agora está pensando em incorporar-se ainda mais no mercado do mundo conectado, oferecendo seus novos chips. Por enquanto, a líder de mercado Intel pode ficar tranquila, dado que os chips ARM ainda precisam fazer incursões significativas no mercado de servidores atualmente dominado pela companhia.

Via Venture Beat