Normandy: vaza suposta interface do celular da Nokia com Android

Por Redação | 08.01.2014 às 19:50

No final do ano passado, o perfil do @evleaks no Twitter publicou a primeira imagem de um suposto smartphone da Nokia equipado com o sistema operacional Android. Desde então, a conta no microblog soltou outros detalhes sobre o aparelho, que recebeu o codinome Normandy. Agora, surge a primeira imagem daquela que deve ser a interface do dispositivo.

As fotos revelam que o software do tal Normandy não será nada parecido com o visual dos aparelhos com o robozinho verde do Google, mas sim com elementos inspirados no Windows Phone e na linha Asha. As principais novidades ficam por conta do aplicativo do Skype, algo que até hoje não existe nos celulares Asha, e de duas barrinhas de sinal no topo do display, indicando que o produto terá suporte para dois chips.

Nokia Normandy

Outro detalhe, desta vez na imagem do meio, mostra um dos recursos que podem estar disponíveis no smartphone: o aplicativo de VoIP e chamadas Viber. Ele pode ser baixado nos smartphones com o sistema móvel da Microsoft, mas não nos telefones de baixo custo da linha Asha. Anteriormente, fontes disseram ao The Verge que o Normandy rodaria uma versão modificada do Android com acesso limitado a alguns recursos da loja Google Play – algo semelhante ao modelo de software do tablet Kindle Fire, da Amazon.

Além do @evleaks, foi descoberta uma informação curiosa no banco de dados da AnTuTu, que realiza testes de benchmarking. Nas imagens, é possível notar um aparelho com o nome de série NOKIA A110 (o "A" seria para Android?) rodando um processador Qualcomm Snapdragon e a versão mais recente do sistema do Google, o 4.4.1 Kit Kat. A figura, divulgada no GSM Arena, também menciona uma câmera traseira de 5 megapixels.

Nokia Normandy

Talvez seja estranho imaginar um aparelho da Nokia equipado com Android. Apesar dos últimos rumores, fato é que a companhia finlandesa deve anunciar em breve um novo modelo de smartphone. E tudo indica que ele seguirá a mesma estratégia do recente Moto G: um celular que possui funções de um aparelho topo de linha, mas vendido a um preço mais competitivo que outros concorrentes.