Luz no fim do túnel: operadoras parecem gostar do BlackBerry 10 nos EUA

Por Redação | 21 de Novembro de 2012 às 13h10
Tudo sobre

BlackBerry

A maré de sentimentos negativos que derrubou as ações da Research in Motion (RIM) e atolou a empresa na lama perdurou por mais de um ano, até que, finalmente, a companhia lançasse seu novo sistema operacional movel, o BlackBerry 10. E parece que agora existe luz no fim do túnel: relatórios mostram que operadoras norte-americanas estão fortemente interessadas no BlackBerry 10. Saiu no All Things D.

Peter Misek, analista da Jefferies & Co., aumentou sua classificação de ações da RIM nesta terça-feira (20), analisando pontos que foram de situações de espera a situações mais drásticas, nas quais a empresa se desempenhou bem abaixo do esperado no mercado. Ele duplicou o preço-alvo para 10 dólares (cerca de 20 reais) por ação. "Nós ficamos surpresos com o feedback inicial altamente positivo das operadoras a respeito do BB10". Misek também escreveu uma nota recente aos clientes. "Estamos um pouco confusos, pois esperávamos uma resposta mais silenciosa, já que o BB10 está dois anos atrasado no mercado e o market share da RIM caiu de 20 por cento para 5 por cento", afirmou.

De fato, Misek, que geralmente se mostra bastante cético em relação às perspectivas da RIM para uma reviravolta no mercado, agora acredita que o BlackBerry 10 constitui uma possibilidade de crescimento para a empresa, com uma probabilidade de 20 a 30 por cento de sucesso. Em outras palavras, todas essas expectativas não passam de apostas, mas os palpites parecem ser bem melhores do que se imaginava.

Assista Agora: Nunca mais contrate funcionários para sua empresa! Comece o ano em uma realidade completamente diferente!

Misek ilustra sua opinião ao dizer que as operadoras norte-americanas vêem o BlackBerry 10 com bons olhos, o que significa que esta possa ser uma das últimas chances de a empresa não sucumbir diante do duopólio da Apple e da Samsung no mercado de smartphones.

Vale notar que ainda há muitos pontos de vista contrários lá fora. O analista James Faucette, da Pacific Crest, por exemplo, emitiu hoje uma nota argumentando que as chances de que o BlackBerry 10 reverta a queda vertiginosa da RIM no mercado são muito pequenas. Sua grande preocupação é que o Google, a Amazon e a Microsoft comecem a subsidiar não apenas o mercado de hardware móvel, como também o de serviços móveis. E se isso acontecer, pode ser um fator devastador para a RIM.

"Sejamos claros: não temos ainda uma opinião firme a respeito da qualidade dos próximos dispositivos e do sistema operacional BB10 (embora tenhamos nossas dúvidas). Por outro lado, estamos absolutamente convencidos de que, independentemente da qualidade, a estrutura da indústria mostra que, virtualmente, não há nenhuma chance de o BB10 modificar a trajetória da RIM".

As ações da RIM abriram hoje em US$ 9,71 (R$ 20,32), com aumento de 1,2 por cento, e continuam a crescer ao longo do pregão.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.