IBM se surpreende com ganhos do quarto trimestre, mas divisão de hardware afunda

Por Redação | 22 de Janeiro de 2014 às 12h47

A IBM divulgou seu resultado financeiro para o quarto trimestre de 2013, que surpreendeu em todos os aspectos. Nele, a companhia reportou um lucro de US$ 6,2 bilhões, com cada uma de suas ações valendo US$ 5,73 e uma receita estimada de US$ 27,7 bilhões – uma queda de aproximadamente 5% se comparada ao mesmo período do ano passado.

Para todo o ano de 2013, a IBM disse que seu lucro total foi de US$ 16,5 bilhões, ou US$ 14,94 por ação, com receita de US$ 99,8 milhões – o que representa uma queda de aproximadamente 5%. Agora a empresa projeta que suas ações atinjam o valor de US$ 17 no ano de 2014.

Se realmente quiser alcançar esse objetivo, a IBM terá que lidar com o desafio de fazer as vendas do Watson crescerem, bem como serviços como analytics, e-commerce, mobile e cloud. Somente desta forma a companhia conseguirá compensar alguns negócios que passam por dificuldades.

Apesar de apresentar queda de 5% em relação ao ano passado, a receita obtida no último trimestre surpreendeu a companhia que experimentou fortes perdas durante todo o ano de 2013.

Apesar de apresentar queda de 5% em relação ao ano passado, a receita obtida no último trimestre surpreendeu a companhia, que experimentou fortes perdas durante todo o ano de 2013.

Se por um lado os ganhos no quarto trimestre surpreenderam, por outro a divisão de hardware afundou. A divisão de sistemas e tecnologias registrou lucro operacional de US$ 206 milhões, 79% inferior ao de um ano atrás, e uma receita de US$ 4,3 bilhões que representa uma queda de 26% em relação ao mesmo período do ano passado. O calcanhar de aquiles da companhia foram as vendas pífias do System Z, Power Systems e System X.

O próprio CFO da companhia, Martin Schroeder, afirmou numa teleconferência que até 2015 a empresa será capaz de bater a marca de US$ 20 por ação em lucros operacionais, mas o hardware será um grande desafio. "A divisão de hardware e os mainframes, juntamente com alguns desafios em outras áreas, está afetando nossos resultados globais", declarou o executivo na conferência.

A divisão de hardware e sistemas e tecnologia continua sendo o calcanhar de aquiles da IBM. O lucro foi 79% inferior em relação ao ano passado e a receita caiu 26%.

A divisão de hardware e sistemas e tecnologia continua sendo o calcanhar de aquiles da IBM. O lucro foi 79% inferior em relação ao ano passado e a receita caiu 26%.

Outra divisão que vem apresentando dificuldades de crescimento é a de software. No quarto trimestre a receita da área foi de US$ 8,1 bilhões, apresentando um aumento de apenas 3% em relação ao ano anterior. Já o lucro operacional bateu a marca de US$ 4,2 bilhões, um aumento tímido de apenas 6 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano passado.

Esperava-se um crescimento maior da divisão de software, mas ela se mostrou tímida e registrou crescimento de apenas 3% em sua receita.

Esperava-se um crescimento maior da divisão de software, mas ela se mostrou tímida e registrou crescimento de apenas 3% em sua receita.

Geograficamente falando, a IBM foi bem em muitas regiões, mas experimentou uma amarga queda de 23% nas vendas no mercado mais promissor de todos, a China. "As maiores quedas na China foram relacionadas à área de hardware. Continuamos a ser afetados pelo processo que cerca a implementação de um plano de reforma econômica de base ampla no país. Enquanto não houver clareza sobre o plano geral, continuaremos acreditando que demorará um pouco para o nosso negócio melhorar por lá", declarou Schroeder.

Importante mercado para toda e qualquer empresa de tecnologia, a China continua sendo um problema para a IBM. No país, a venda de componentes da norte-americana caiu 23%.

Importante mercado para toda e qualquer empresa de tecnologia, a China continua sendo um problema para a IBM. No país, a venda de componentes da norte-americana caiu 23%.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.