Falta de acordo entre governo e Foxconn emperra criação de fábrica no Brasil

Por Redação | 17 de Julho de 2012 às 15h15

A empresa taiwanesa Foxconn, responsável pela produção dos aparelhos da Apple no Brasil e no mundo, está enfrentando um impasse com o governo brasileiro para a criação de uma nova fábrica no país. A divergência se deve à tecnologia que será utilizada pela empresa na produção de telas de LCD em sua nova fábrica.

O acordo para trazer a Foxconn para o Brasil foi anunciado em abril do ano passado durante uma viagem da presidenta Dilma Roussef à China. Na época, ambas as partes anunciaram um investimento total de US$ 12 bilhões, e parte do dinheiro deveria ser destinada para a criação de uma fábrica de telas de LCD.

Foxconn Jundiaí

O impasse se deve à tecnologia que será utilizada na produção de telas de LCD (Foto: Reprodução/Gizmodo)

Agora, o governo federal exige que a companhia use o que há de mais moderno na produção nacional, ou seja, a Foxconn deveria deixar de fabricar telas com micro lâmpadas de LED e passar a produzir telas de OLED, última tecnologia do setor. O problema é que essa técnica é muito mais cara.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, os problemas com as questões de tecnologia surgiram logo no começo do acordo. Há um ano e três meses, o executivo Terry Gou afirmou que entraria no país apenas com sua tecnologia e sem injetar novo capital.

Sem um acordo definido, o governo afirmou ao empresário Gou que o BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento) não financiará a criação da nova unidade da Foxconn no Brasil. O banco deveria contribuir com um US$ 1,2 bilhão, 30% do montante de US$ 4 bilhões acordado.

Ainda de acordo com a publicação, os assessores da presidência afirmaram que estão trabalhando para viabilizar o projeto, já que ele é considerado muito estratégico para o país.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.