Ex-funcionários da Apple revelam como a empresa mantém seus segredos

Por Redação | 29.05.2013 às 09:20

A Apple é uma empresa notoriamente discreta, basta lembrarmos como é difícil encontrar por aí notícias criadas a partir de informações de "fontes internas familiarizadas com o assunto", principalmente em comparação com suas concorrentes. Boa parte desse sigilo foi ditado pelo cofundador da Maçã, Steve Jobs.

Para tentar entender melhor como funcionam as coisas nos bastidores da companhia, o pessoal do BusinessInsider resolveu reunir algumas respostas de ex-funcionários da Maçã - ou pelo menos pessoas que afirmaram ser - para a pergunta: "Como a Apple consegue guardar segredos tão bem?"

As informações foram retiradas do Quora, uma rede social desenvolvida por dois programadores do Facebook que incentiva as pessoas a responderem perguntas sobre temas que elas conhecem, como uma espécie de Yahoo! Respostas. Confira as respostas de cada um dos ex-funcionários sobre a política de sigilo da Maçã:

Brian Hoshi

(Executivo de contas da Apple entre 2002 e 2007)

"Tendo trabalhado na Apple por alguns anos, posso dizer que a necessidade de sigilo está impregnada na cultura corporativa para criar produtos inovadores e revolucionários. O segredo é mantido por toda a organização, sabendo que existe uma equipe de segurança corporativa olhando por cima do ombro em praticamente todos os momentos, e que mesmo pequenas infrações são motivos para a rescisão imediata."

Robert Bowdidge

(Ex-Engenheiro de Software da Apple)

"Eu não poderia dizer nada à minha esposa, ela sabia que eu estava trabalhando em um prédio diferente do outro lado da rua e ficando até muito tarde da noite, mas ela não sabia o que eu estava fazendo. Quando eu tive que viajar para o Reino Unido para trabalhar com mais pessoas, ela pediu para ir junto. Eu tinha que dizer 'de jeito nenhum' - ela trabalhava para a IBM na época, e eu sabia que o líder do projeto iria pirar pensando que o nosso fornecedor de chips saberia nossos movimentos."

Chris Connors

(Designer de Interação Sênior entre 2005 e 2010)

"Mesmo dentro da empresa a cultura se manifesta de maneiras interessantes. Se você tem amigos em outros grupos, eles nunca vão perguntar em que você está trabalhando. Eles sabem bem, e a cortesia é recíproca. Por isso, normalmente são conversas pessoais ou sobre elementos externos."

Ken Rosen

(Gerente de Marketing da Apple entre 1985 e 1988 e Gerente de Mercados Emergentes da NeXT* entre 1988 e 1994)

"Nos primeiros dias, tudo estava aberto a todos. Havia até uma pasta no gabinete do CFO com o salário de todos. Nós fomos informados que poderíamos dar uma olhada a qualquer momento. Poucos quiseram. Steve [Jobs] nos disse: 'Dentro da NeXT, tudo está em aberto. Fora, nós não dizemos nada'. Ele acrescentou: 'Isso vai continuar até o primeiro vazamento. Assim que provar que não podemos manter um segredo, vamos voltar a ser como qualquer outra empresa.'"

*NeXT: Empresa aberta por Steve Jobs depois de ter sido forçado a sair da Apple, em 1985.