Apple quebra reinado da Coca-Cola e se torna a marca mais valiosa do mundo

Por Redação | 30.09.2013 às 14:25

O reinado de 13 anos da Coca-Cola como a marca mais valiosa do mundo finalmente acabou, segundo o relatório "Best Global Brands" da Interbrand. A empresa de bebidas foi finalmente ultrapassada pela Apple, que assume o primeiro lugar em um ranking dominado por empresas de tecnologia nas primeiras posições.

A Coca-Cola não apenas caiu da primeira posição, como também já perdeu o segundo lugar para outra empresa do setor de tecnologia: o Google. A Apple já vinha ascendendo no ranking desde 2011, quando ocupava a oitava colocação, chegando ao segundo lugar em 2012 e assumindo a liderança, com valor de marca estimado em 98,3 bilhões de dólares.

Interbrand

O Google aparece em segundo lugar com um valor de marca de 93,2 bilhões de dólares. As marcas de Apple e Google cresceram 28% e 34%, respectivamente, enquanto a Coca-Cola viu uma valorização de 2%, com valor de 79,2 bilhões, longe de ser suficiente para se manter no topo.

O relatório da Interbrand é baseado em critérios como performance financeira, lealdade do consumidor e o papel que cada marca desempenha na decisão de compra. Com receitas recorde de 54,5 bilhões de dólares no primeiro trimestre do ano e com filas enormes para o lançamento dos novos iPhones, é de se entender porque a Apple conquistou o primeiro lugar.

É interessante também notar que, das primeiras cinco posições nesse ranking, quatro pertencem a empresas do setor de tecnologia. A IBM aparece na quarta posição, com valor de 78,8 bilhões, enquanto a Microsoft fica em quinto, com 59,5 bilhões. Não só isso, como o Facebook foi a empresa que mais cresceu no ranking, passando do 69° lugar em 2012 para o 52° lugar este ano, com uma valorização de 43%.

Este é o reflexo de uma cultura onde a tecnologia se tornou algo "pop" e desempenha um papel cada vez maior em nossas vidas. Os smartphones são nossos companheiros diários, e juntos com tablet, laptops e outros gadgets, são responsáveis por armazenar nossos dados e informações mais importantes.

É claro que nem todas as empresas de tecnologia estão se dando bem com essas mudanças. A Nokia, por exemplo, caiu de 19° para 57°, enquanto a BlackBerry saiu definitivamente do Top 100, sem dar sinais de que pode se recuperar e voltar ao ranking.