Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Substância usada na fabricação de café descafeinado agride camada de ozônio

Por| Editado por Patricia Gnipper | 29 de Maio de 2023 às 17h15

Link copiado!

ArtRachen/Envato
ArtRachen/Envato

Um estudo publicado na última semana investigou os efeitos de gases conhecidos como VSLS (Very Short-Lived Substances – substâncias de vida muito curta) na camada de ozônio sobre os trópicos. Apesar de durarem até somente seis meses na atmosfera, estes químicos — usados na descafeinização do café, por exemplo — não possuem regulação de uso.

A camada de ozônio — que protege o planeta da radiação ultravioleta do sol — foi severamente afetada ao longo de décadas pela utilização de substâncias como os clorofluorcarbonos (CFCs). Em 1987, a assinatura do Protocolo de Montreal fez com que os países se comprometessem a cortar a produção destes químicos, aplicados em sistemas de refrigeração e em aerossóis. Desde então, o buraco que se formava anualmente sobre os polos vem se regenerando — mas isso não significa que o ozônio esteja totalmente livre de ameaças.

Continua após a publicidade

Porções desta camada protetora na região dos trópicos vêm apresentando sinais de queda na concentração do ozônio ao longo dos últimos anos. Cientistas pensavam que o motivo para isso estava nas mudanças climáticas: uma atmosfera mais quente leva a um fluxo mais rápido da substância em direção aos polos. Por mais que esse processo realmente ocorra, ele não é o único culpado, já que poluentes de vida curta também estariam afetando a disponibilidade de ozônio.

Dentre os químicos reportados pelo estudo, estão uma série de compostos orgânicos halogenados — que possuem cloro, bromo ou iodo. Estas substâncias são aplicadas em diversas finalidades, como a retirada da cafeína do café, purificar antibióticos e como propelentes de aerossóis. Apesar de seus efeitos negativos, elas nunca tiveram seu uso regulado.

De acordo com os cálculos realizados pelos pesquisadores, o impacto das VSLS na camada de ozônio nos trópicos responde por um quarto da perda da substância na região, enquanto o restante está associado às mudanças climáticas. Os cientistas sugerem que os países considerem realizar uma emenda ao Protocolo de Montreal para responder a esta questão.

Fonte: Nature Via: NewScientist