Projeção mostra imagens chocantes do mar engolindo cidades no futuro

Projeção mostra imagens chocantes do mar engolindo cidades no futuro

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 13 de Outubro de 2021 às 15h42
Climate Central

Parte de toda a emissão de dióxido de carbono produzida pela ação humana ainda permanecerá por centenas de anos na atmosfera. Mesmo que, segundo o Acordo de Paris, o aquecimento global seja limitado em até 1,5 °C em relação aos níveis pré-industriais, os níveis dos mares continuarão a subir. Pesquisadores do Climate Central simularam alguns cenários onde este limite de aquecimento foi mantido ou ultrapassado, revelando os lugares que mais serão afetados pelo avanço dos mares.

O pior cenário, segundo as projeções de risco, seria na Ásia. Cerca de metade das populações de Bangladesh e do Vietnã sofreriam com a subida dos mares a longo prazo, por mais que o aquecimento global possa chegar a até 2 °C. China, Índia e Indonésia também enfrentariam o mesmo problema de inundação. As principais projeções vão até o final deste século, variando cerca de meio metro a quase o dobro disto.

Rio de Janeiro em dois cenários de aquecimento (Imagem: Reprodução/Climate Central)

Mesmo após 2100, os oceanos continuarão a aquecer, acelerando ainda mais o derretimento das calotas polares. Com mais água, mais calor será retido no planeta. Esse cenário é previsto mesmo que ocorra uma redução drástica nas emissões de carbono. E vale ressaltar que grande quantidade já lançada para a atmosfera ainda produzirá efeitos a longo prazo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Segundo Ben Strauss, CEO e cientista-chefe da Climate Central, aproximadamente 5% da população mundial vive hoje em terras abaixo de onde se espera que o nível da maré alta aumente. A projeção é baseada na quantidade de dióxido de carbono produzido por atividade humana já lançado na atmosfera. A atual concentração de CO2 é cerca de 50% maior do que em 1800 — o suficiente para que hoje a temperatura global esteja 1,1 °C acima do normal.

Agora, a cidade de Nova York (Imagem: Reprodução/Climate Central)

Esta concentração de CO2 perdurará por muito tempo na atmosfera. É o suficiente para elevar os níveis do mar em quase 2 metros, seja em dois séculos ou mais. Por mais que o limite de aquecimento de até 1,5 °C, firmado pelo Acordo de Paris, seja cumprido, é o necessário para elevar os níveis dos oceanos em até 3 metros. Até 2100, a Terra atingirá um aquecimento de até 2,7 °C — elevando os mares em 6 a 9 metros.

O aquecimento global também oferece outra ameaça ao derreter as camadas de gelo da Terra e liberar grandes estoques naturais de CO2 e metano do permafrost, apontam os cientistas. De todo modo, Strauss, principal autor do estudo, ressalta que limitar o aquecimento global ao menos nos dará mais tempo para nos adaptarmos a essas mudanças iminentes.

O estudo teve a contribuição de pesquisadores da Universidade de Princeton e do Instituto Potsdam para Pesquisa de Impacto Climático, e você pode conferi-lo na Environmental Research Letters.

Fonte: ScienceAlert, Climate Central

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.