Publicidade

O que é falha geológica? Conheça tipos e seus movimentos

Por| Editado por Patricia Gnipper | 13 de Fevereiro de 2023 às 11h18

Link copiado!

Imagem: NASA Earth Observatory/Wikimedia Commons
Imagem: NASA Earth Observatory/Wikimedia Commons

Falhas geológicas são fraturas na crosta terrestre que variam da espessura de um fio de cabelo — que sequer apresentam movimentos notáveis entre suas camadas de rochas —, até grandes dimensões que permitem vê-las do espaço, como é o caso da Falha de San Andreas e da Falha de Anatólia.

Todas elas são geradas por tensões acumuladas ao longo de sua placa tectônica, seja por forças que a tracionam ou que a comprimem. Independentemente de seu tamanho e de sua origem, a forma com que cientistas caracterizam as falhas geológicas é o como cada lado se move em relação ao outro.

Tipos de falhas geológicas

Continua após a publicidade

As falhas geológicas se dividem em três tipos: as falhas normais, as inversas e as transcorrentes. Essa classificação depende do sentido do deslocamento que ocorre nelas durante um terremoto.

  • Falha normal: conhecida também como falha distensiva, esse tipo de falha é caracterizado pelo deslocamento descendente de um bloco de rochas em relação ao seu plano original. Esse movimento “abre espaço” no terreno, como pode ser visto em locais como a Zona de Fenda do Leste Africano.
  • Falha inversa: outro nome para as falhas compressivas, as inversas são falhas cujo comportamento corresponde ao que seu nome sugere — ele é o oposto ao de uma falha normal. O bloco rochoso sobe em relação ao plano original, dando origem a formações como os Himalaias.
Continua após a publicidade
O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia
  • Falha transcorrente: também chamadas de falhas horizontais, esta categoria não apresenta pouco ou nenhum deslocamento vertical, mas, horizontalmente, as placas deslizam em sentidos opostos. As falhas citadas no primeiro parágrafo, de Anatólia e San Andreas, são desse tipo.

As fronteiras entre as placas tectônicas, em grande escala, são um sistema de falhas — mas o contrário não é verdade: nem toda falha separa uma placa tectônica. É fato, porém, que os terremotos de maior magnitude acontecem justamente onde placas se encontram. Um exemplo disso é a zona de subducção no Oceano Pacífico — onde uma placa se move sobre a outra — que gerou terremotos como o de 2011 no Japão e o de 2004 na Indonésia.

Continua após a publicidade

A maior falha geológica do mundo

Localizada próxima à Indonésia, a Falha de Desprendimento de Banda, nomeada em homenagem às ilhas homônimas ao seu redor, é a maior falha geológica conhecida no mundo.

Ela é responsável por uma bacia de 60.000 quilômetros quadrados — área maior que todo o estado da Paraíba. Seu ponto mais profundo, chamado Weber Deep, está a 7,2 quilômetros abaixo do nível do mar e é o ponto mais distante da superfície fora de uma fossa.