Publicidade

Emissões globais de CO2 atingiram o maior nível da história em 2021

Por| Editado por Patricia Gnipper | 10 de Março de 2022 às 18h10

Link copiado!

CreativeNature_nl/Envato Elements
CreativeNature_nl/Envato Elements

As emissões globais de CO2 relacionadas a produção de energia atingiram um novo recorde em 2021, lançando 36,6 bilhões de toneladas do gás de efeito estufa à atmosfera. A informação vem do novo levantamento realizado pela Agência Internacional de Energia (AIE), que atribui o aumento ao uso de carvão na indústria.

Com a pandemia em 2020 paralisando diversos setores globais, o mundo experimentou consideráveis declínios nas emissões de gases de efeitos estufa (GEE), mas a nova análise da AIE revela que nem mesmo essa redução foi suficiente para conter a emissão de CO2.

Continua após a publicidade

Em 2021, houve um aumento de 6% das emissões de CO2 em relação ao ano anterior. Embora a geração de energia renovável tenha experimentado seu maior crescimento no ano passado, a energia nuclear, que usa carvão, forneceu a maior parte da eletricidade global.

O problema é que a queima de carvão levou a um aumento maciço nas emissões de CO2 relacionadas a produção de energia, liberando 36,3 toneladas — superando em mais 2 bilhões de toneladas em relação ao ano anterior. Segundo a AIE, isso mais do que anula o declínio observado na pandemia.

Responsáveis pelas emissões

De todo CO2 liberado para a atmosfera no ano passado, 40% veio do uso de carvão — algo em torno de 15,3 bilhões de toneladas de emissões. Parte disso foi por conta do aumento dos preços do gás natural, o que aumentou a procura por carvão.

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Já as emissões relacionadas ao petróleo, no entanto, permaneceram baixas em relação aos níveis pré-pandemia, porque a crise de 2020 continuou afetando o transporte do óleo.

Só em 2021, a China teve um aumento de 10% no uso de carvão para atender a demanda de eletricidade, a maior já registrada no país. Ao todo, os chineses emitiram mais de 11,9 bilhões de toneladas de CO2, representando 33% da emissão global.

Mesmo com a pandemia de 2020, níveis recordes de GEE foram relatados naquele ano. Em 2021, o gás de efeitos estufa mais nocivo ao clima do planeta, o metano, também alcançou um novo recorde — de modo geral, as emissões continuam a crescer.

Continua após a publicidade

A AIE disse que o mundo deve garantir a recuperação global dessas emissões de 2021 e também garantir uma transição energética mais veloz para garantir a segurança energética global e a redução dos preços da energia.

Fonte: AIE, Via New Atlas