COVID-19: sondas da NASA ajudam a estudar mudanças climáticas durante a pandemia

COVID-19: sondas da NASA ajudam a estudar mudanças climáticas durante a pandemia

Por Daniele Cavalcante | 01 de Maio de 2020 às 14h30
Ball Aerospace

Cientistas estão analisando dados de satélites da NASA para acompanhar os problemas e mudanças causadas pela pandemia de COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus (SARS-COV-2). Com essas informações, é possível estudar os impactos ambientais, econômicos e sociais desse momento que atravessamos.

Considerando a importância dessa pesquisa, a Divisão de Ciências da Terra da NASA financiou novos projetos que visam examinar como o período de distanciamento social e quarentena por todo o mundo está mudando o ambiente, especialmente a atmosfera terrestre. Isso poderá ajudar a descobrir se algum fenômeno ambiental natural pode impactar a propagação da pandemia.

Entre esses novos projetos, está a análise do impacto da pandemia na qualidade do ar. O estudo é liderado por Jennifer Kaiser, do Instituto de Tecnologia da Geórgia, em Atlanta, e Elena Lind, do Instituto Politécnico da Virgínia, em Blacksburg - ambos nos EUA. Elas examinam como a redução do tráfego nos aeroportos pode ter alterado a qualidade do ar.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Kaiser e sua equipe instalaram dois sensores no Aeroporto Internacional de Baltimore-Washington e no Aeroporto Internacional de Hartsfield-Jackson Atlanta. O tráfego geral do primeiro diminuiu cerca de 60%, enquanto no segundo diminuiu 70%. Isso significa uma redução dos níveis de dióxido de nitrogênio, que é liberado quando queimamos combustível em aviões ou carros. Quando liberado, ele reage com outros produtos químicos próximos e forma o ozônio, que pode causar dor no peito, tosse e irritação na garganta.

Comparativo dos dados coletados entre 2015 (à direita) e entre março e abril de 2020 (à direita) mostra a redução das taxas de dióxido de nitrogênio (Imagens: Scientific Visualization Studio da NASA)

Outra pesquisa, liderada por Joanna Joiner e Bryan Duncan, no Centro de Voo Espacial Goddard, da NASA, visa criar mapas e imagens que mostram como a COVID-19 reduziu a poluição do ar em todo o mundo. Eles trabalham com dados do Instrumento de Monitoramento de Ozônio (OMI) a bordo do satélite Aura, da NASA, e também encontraram níveis mais baixos de dióxido de nitrogênio no ar, só que em escala global.

De acordo com Duncan, a equipe está "analisando as mudanças no dióxido de nitrogênio para entender como as economias estão mudando". Eles fizeram uma comparação dos dados deste ano com a média dos cinco anos anteriores, para saber quando as mudanças no dióxido de nitrogênio começam em relação a diferentes ações do governo. Esses dados ajudarão cientistas, economistas e profissionais de saúde para ajudá-los a entender como a química da atmosfera está mudando e como as economias estão encolhendo.

Por fim, a pesquisa de Ben Zaitchik, da Universidade Johns Hopkins, que também utiliza recursos da NASA, está tentando descobrir se os casos de COVID-19 diminuirão no verão por causa do clima. Ao aplicar os dados de satélites aos dados relacionados ao novo coronavírus, Zaitchik espera saber se os casos diminuem à medida que a temperatura ou a umidade aumentam.

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.