Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

A água da usina nuclear de Fukushima é segura para consumo?

Por| Editado por Luciana Zaramela | 24 de Agosto de 2023 às 16h52

Link copiado!

Prostock-studio/Envato
Prostock-studio/Envato

Nesta quinta-feira (24), o Japão começou a colocar em prática o plano de liberar a água da usina nuclear de Fukushima. Essa água foi originalmente contaminada depois que o terremoto de 2011 destruiu o reator, e uma dúvida que fica em meio a isso é: será que é segura para consumo?

A principal preocupação é que a água contenha isótopos nocivos que representem um risco para os seres humanos e para os ecossistemas marinhos. No entanto, a água tratada foi filtrada e praticamente todos os isótopos perigosos foram removidos, exceto vestígios de trítio.

É válido entender que o trítio, um isótopo do hidrogénio, é difícil de separar totalmente da água. Apesar disso, foi diluído até que os níveis tenham ficado muito abaixo dos limites regulamentares impostos pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Continua após a publicidade

Além disso, o trítio é considerado relativamente inofensivo para os humanos porque sua radioatividade não consegue penetrar na pele humana.

A água de Fukushima faz mal para a saúde?

A ideia do governo japonês é monitorar a água à medida que é liberada. Além disso, as autoridades do país garantiram ao mundo que a liberação da água deve ser encerrada se houver a detecção de qualquer concentração de material radioativo.

Assim, o processo de filtração removeu ou diluiu os isótopos radioativos a tal ponto que a água seria considerada segura para beber. No entanto, a liberação vai acontecer no mar, então não chegará a consumo humano. Até porque, se alguém bebesse, os restos de contaminação não seriam a principal preocupação, e sim o próprio teor de sal.

Inclusive, já apontamos o que acontece se uma pessoa beber água salgada: a National Oceanic and Atmospheric Administration afirma que a salinidade da água do mar é muito alta para os humanos processarem com segurança, pois nossas células precisam de água em uma forma relativamente pura.

Os rins só podem produzir urina menos salgada que o nosso sangue, e a água do mar contém mais de três vezes a quantidade de sal do que o sangue humano. Assim, a água salgada é incapaz de saciar a sede: deixa a gente com mais sede ainda.

Em Fukushima tem água potável?

Continua após a publicidade

No entanto, no que diz respeito à água da torneira de Fukushima, é perfeitamente potável. Segundo o site Fukushima Updates, "no Japão, o valor-alvo para o césio radioativo (césio-134 e -137) na água da torneira é de 10 Bq/kg. Inspeções de monitoramento são realizadas regularmente para medir os níveis de césio radioativo na água potável da província de Fukushima e das prefeituras vizinhas de Miyagi, Ibaraki e Tochigi, e os resultados são divulgados publicamente".

O site ainda aponta que "na província de Fukushima, não foram encontrados radionuclídeos na água potável que excedessem os valores-alvo desde 5 de maio de 2011".

O que aconteceu na usina nuclear de Fukushima?

Caso esteja se perguntando como aconteceu o incêndio na usina nuclear de Fukushima, a gente explica: em 2011, um terremoto ocorreu a quase 100 km das instalações da usina, equipada com sistemas que detectaram o tremor e desativaram automaticamente os reatores nucleares.

Continua após a publicidade

Foi necessário acionar geradores de emergência para manter o sistema de resfriamento ativo, mas uma onda invadiu o muro protetor do complexo e inundou a usina, desativando os geradores. Os funcionários tentaram restaurar a energia, o combustível nuclear de três reatores havia superaquecido. O acúmulo de hidrogênio gasoso pressurizado fez com que os reatores d a usina explodissem.

Agora, o Japão começou a liberar água da usina nuclear de Fukushima no Oceano Pacífico: ao todo, 1,34 milhão de toneladas de água, que deve ser filtrada, e diluída e liberada ao longo de 30 anos.

Fonte: IFL Science, Reuters, Fukushima Updates