HP nega pedido da Autonomy para dividir os detalhes da acusação de fraude

Por Redação | 28.11.2012 às 15:15

A Hewlett-Packard negou nesta terça-feira (27) o pedido do ex-presidente executivo da Autonomy, Mike Lynch, para a empresa dividir os detalhes sobre a acusação de fraude financeira. A HP ainda desafiou Lynch a se apresentar para esclarecimentos sob a pena de perjúrio. As informações são da Reuters.

A companhia registrou prejuízo de US$ 9 bilhões (cerca de R$ 19 bilhões) após a compra da Autonomy, em 2011, que foi adquirida por deter uma tecnologia de motor de busca empresarial. As falhas no negócio foram descobertas com uma investigação interna logo após a saída de Mike Lynch do comando da empresa, o que fez com que a HP iniciasse um processo de 'improbidade contábil' contra a Autonomy.

Na época, o negócio foi supervalorizado gerando um aumento de US$ 5 bilhões (R$ 10 bilhões) no valor da empresa. A HP pretende recuperar o máximo possível de dinheiro gasto nesta transação, e não é só ela que poderá ver a cor do dinheiro: o responsável pela denúncia - que não foi identificado - também receberá uma boa recompensa.

Autonomy

Lynch ainda desafiou a HP a mostrar os cálculos da baixa contábil

A Autonomy enviou uma carta aberta ao Conselho da HP solicitando a divulgação dos detalhes dessa acusação a reguladores norte-americanos e britânicos, incluindo a Securities and Exchange Comission (SEC) e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos. Lynch ainda negou todas as acusações, afirmando que não inflou os dados da receita da empresa para lucrar com sua venda e desafiou a HP a apresentar os cálculos da baixa contábil que gerou os cinco bilhões de dólares a mais no valor total da Autonomy.

Especialistas afirmam que o caso trouxe à tona uma discussão sobre as competências da HP na condução de negócios, já que a companhia tem angariado uma série de erros com compras mal-sucedidas e ações estratégicas que não obtiveram o resultado desejado.