FBI inicia buscas na casa do responsável pelo vazamento de informações do PRISMA

Por Redação | 11 de Junho de 2013 às 11h45

O FBI iniciou nesta segunda-feira (10) uma série de investigações, incluindo buscas na casa de Edward Snowden, 29 anos, que assumiu ter sido o responsável pelo vazamento de dados confidenciais do governo dos Estados Unidos sobre a operação PRISMA. O programa coleta dados eletrônicos e telefônicos de milhares de pessoas ao redor do mundo, e os documentos que vieram à tona indicam que o governo norte-americano tem acesso aos servidores das principais empresas de tecnologia do mundo como Google, Facebook, Microsoft, Apple entre outras.

Informações extraoficiais indicam que o FBI começou a sua busca por Snowden vasculhando seu computador no Havaí e interrogrando sua mãe, pai e namorada, e tudo isso enquanto o presidente Barack Obama e a Agência Nacional de Segurança se mantinham em silêncio sobre o caso. A CIA, por sua vez, busca determinar a real localização de Snowden, que está asilado em Hong Kong, na China.

Até a manhã de ontem (10), Snowden encontrava-se hospedado no Mira Hotel no centro de Hong Kong, de onde concedeu uma entrevista ao The Guardian afirmando a autoria dos vazamentos. Mas, desde então, as autoridades desconhecem seu paradeiro e para levá-lo a julgamento, o governo norte-americano já iniciou um inquérito policial e começou a pressionar alas políticas para a sua extradição. O ex-técnico da terceirizada que presta serviços ao Pentágono poderá entrar com pedido de asilo em Hong Kong, mas isto seria arriscado já que os EUA têm acordos de extradição com o país asiático. E a Islândia também poderá ser uma opção para Snowden fugir do julgamento em seu país de origem, mas para conseguir o asilo ele deverá se dirigir até lá.

"Se Snowden é realmente a fonte, o governo deve processá-lo com toda a força da lei e começar o procedimento de extradição o quanto antes. Os Estados Unidos devem deixar claro que nenhum país deve dar asilo a este indivíduo. Este é um assunto de consequências extraordinárias para a Inteligência americana", afirmou ao jornal O Globo o republicano Peter King, presidente do Subcomitê de Segurança Interna da Câmara.

Dentro do próprio partido republicano, algumas pessoas são contrárias ao julgamento de Edward Snowden, e afirmam que o alvo deve ser a investigação do programa de espionagem de milhares de pessoas feito pelo governo norte-americano. Representantes da sociedade civil também se encontram divididos sobre o papel do ex-técnico, com muitos afirmando que ele é um herói e outros que o têm como um traidor.

A Casa Branca está centrando suas atenções em estratégias para tentar trazer Snowden de volta ao país, que envolvem principalmente sua relação delicada com o governo chinês. E alguns representantes europeus, incluindo a chanceler alemã, Angela Merkel, exigem que Barack Obama explique sobre o programa PRISMA durante a próxima reunião do G-8, já que o programa também é usado para monitorar pessoas no exterior.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.