iTunes deve deixar de existir em 2018

Por Redação | 11 de Maio de 2016 às 18h52

De acordo com informações divulgadas nesta quarta-feira (11), a descontinuação do iTunes é certa. A Apple deverá encerrar completamente os downloads de música até 2018 em favor do investimento da companhia no Apple Music e na forte tendência mundial do mercado de streaming.

As fontes afirmam que a Maçã está considerando. basicamente, duas possibilidades: a primeira é mais agressiva, com previsão de término do serviço em dois anos, enquanto a outra visa uma transição gradual, que pode se estender por três ou quatro anos. A segunda opção é justificada pelo fato de que alguns países ainda utilizam bastante o iTunes, e então a mudança aconteceria gradualmente, tendo início pelos países mais adeptos do Apple Music.

A decisão da Apple não surpreende, pois a gigante da tecnologia tem visto uma crescente queda nas receitas oriundas do iTunes. É evidente que os downloads pagos ainda movimentam milhões de dólares para a Maçã, mas a diminuição dos números tem ocorrido rapidamente.

O principal motivo para o fim do iTunes é o rápido crescimento do Apple Music. Lançada em julho de 2015, a plataforma já conta com mais de 13 milhões de assinaturas pagas e a expectativa é de que o serviço alcance a marca dos 20 milhões de usuários até o final de 2016. Caso as previsões sejam confirmadas, as receitas vindas do Apple Music ultrapassarão os resultados do iTunes, o que justificaria a decisão da companhia de optar pela plataforma mais recente.

Para se ter ideia deste panorama, no ano passado, os downloads de músicas no iTunes sofreram queda de 16%. Já para este ano, as estimativas são de que o serviço sofra um declínio de 25% a 30%, alcançando aproximadamente os US$ 750 milhões. Apesar de parecer grande, este resultado não agrada a Apple, que em 2012 angariou quase US$ 4 bilhões em todo o mundo com a plataforma.

Fonte: The Next Web

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.