Mais de 2 bilhões de contas foram derrubadas pelo Facebook no primeiro trimestre

Por Natalie Rosa | 23 de Maio de 2019 às 17h58
Reprodução
Tudo sobre

Facebook

Saiba tudo sobre Facebook

Ver mais

O Facebook acaba de divulgar o relatório fiscal do quarto trimestre de 2018 e primeiro trimestre deste ano, referente à aplicação dos padrões de comunidade que mantém a rede social menos nociva. A empresa de Mark Zuckerberg conta que, somente durante os três primeiros meses de 2019, 2,19 bilhões de contas foram removidas.

"Observamos um aumento acentuado na criação de contas falsas e abusivas no Facebook nos últimos seis meses. Flagramos a maioria dessas contas em poucos minutos após o registro. No entanto, ataques automatizados resultaram em mais dessas contas, que ultrapassaram a nossa detecção inicial", diz o relatório da rede social. Estima-se que cerca de 5% destes usuários se tratavam de contas falsas, sendo então 119 milhões.

Guy Rosen, vice-presidente de integridade do Facebook, disse que a maior parte dos casos parece ser impulsionada por atividade comercial, contando ainda que o maior número de contas falsas foi comando por spammers.

Imagem: Reprodução

A companhia conta que incluiu métricas em nove políticas dentro dos seus padrões de comunidade: nudez e atividade sexual adulta, bullying e assédio, nudez e exploração sexual infantil, contas falsas, discursos de ódio, produtos regulamentados, spam, propaganda terrorista global e violência e conteúdo gráfico.

Ainda de acordo com os dados, 65% das publicações removidas por incitação ao ódio foram detectadas sem que houvesse sinalização dos usuários. Há um ano, esse número chegava a apenas 38%.

Pela primeira vez, a empresa acrescentou dados sobre quantas publicações são restauradas após revisões internas ou quando a denúncia é retirada, afirmando que 1,1 milhão de contas foram devolvidas após terem sido derrubadas por nudez e atividade sexual adulta, somente no primeiro trimestre. Foram removidos também 19,4 milhões de conteúdos pelo mesmo motivo.

O relatório completo está disponível para consulta no Facebook Transparency.

Fonte: Facebook Transparency, Newsroom

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.