Dia 30 de junho terá um segundo a mais – e isso pode afetar a internet

Por Redação | 29.06.2015 às 17:30

Na próxima terça-feira (30), todos os relógios do mundo ganharão um segundo a mais para compensar a desaceleração na rotação do planeta. O chamado "segundo bissexto" é adicionado a cada 18 meses, aproximadamente, desde 1972 para corrigir o tempo "perdido" na desaceleração e garantir que o relógio atômico fique em sincronia com a Terra.

Os seres humanos podem lidar tranquilamente com esse segundo adicional, mesmo sem estarem cientes disso, mas os computadores não estão muito acostumados com essa mudança repentina no tempo. Em 2012, a adição de um segundo no relógio durante um final de semana causou estragos no mundo virtual. Na ocasião, sites como Reddit, Foursquare, Yelp, LinkedIn e Gawker saíram do ar e centenas de voos precisaram ser adiados na Austrália. Um bug no Network Time Protocol (NTP) usado para manter os relógios do sistema Linux sincronizados também já causou muitos estragos. A falha travou totalmente alguns sistemas, exigindo uma reinicialização antes que eles pudessem se recuperar.

O problema acontece porque o segundo a mais significa uma figura adicional para o relógio do sistema:

2011-12-31 23.59.57

2011-12-31 23.59.58

2011-12-31 23.59.59

2011-12-31 23.59.60 <– segundo bissexto

2012-01-01 00.00.00

2012-01-01 00.00.01

2012-01-01 00.00.02

O segundo adicional será inserido no protocolo para sincronização dos relógios dos computadores em todo o mundo no mesmo exato momento, no dia 30 de junho, às 23:59:60.

Dessa vez, as empresas precisam estar prontas para lidar com o segundo bissexto. Gigantes como Google e Amazon já estão ajustando gradualmente os relógios dos seus servidores ao longo de várias semanas para que a mudança não seja repentina. Outros lugares que dependem de sistemas de tempo crítico, como os mercados de ações e serviços públicos, também estão preocupados com o segundo adicional. Um único segundo de inatividade para um mercado de ações significa que até US$ 4,6 milhões podem ser perdidos.

O segundo bissexto é sinônimo de dor de cabeça para os administradores de sistemas que precisam garantir que os seus serviços fiquem disponíveis e saber como lidar como a mudança. Fornecedores de hardware, como a Cisco, precisam fornecer informações detalhadas sobre a forma de lidar com os seus produtos durante o segundo bissexto, mas mesmo assim os efeitos colaterais são imprevisíveis. Os sistemas Linux não devem enfrentar problemas amanhã, um vez que o bug que o afetou da última vez já foi resolvido, juntamente com outros problemas encontrados no Java e em outros sistemas operacionais.

O segundo bissexto pode não ter vida longa, pois a União Internacional de Telecomunicações (UIT) deve votar uma proposta para eliminá-lo em novembro de 2015.