Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Carlo Acutis | A história do padroeiro da internet

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 01 de Outubro de 2023 às 14h00

Link copiado!

Dobroš/Wikimedia Commons
Dobroš/Wikimedia Commons

No dia 10 de outubro de 2020, as manchetes de todo o mundo se voltaram para um feito histórico no Vaticano: a beatificação de um jovem de 16 anos. Não era somente a idade que chamava atenção, mas também o meio que o levou à permissão ao culto: a tecnologia. Carlo Acutis se tornou o “padroeiro da internet” por semear o evangelho através de um site juntamente com um milagre reconhecido pela Igreja — evento que teria ocorrido no Brasil.

A vida de Carlo Acutis

Carlo Acutis nasceu em 3 de maio de 1991, na Inglaterra, mas foi morando em Milão, na Itália, que o Beato teve contato com o catolicismo após concluir a primeira comunhão. Sua mãe dizia que ele gostava de jogar futebol, videogame e de estar na presença de amigos, como a maioria dos jovens da sua idade — mas que o nível de devoção à Nossa Senhora e à fé o diferenciava dos demais adolescentes.

Continua após a publicidade

O título “padroeiro da internet” nasceu da paixão de Acutis pela ciência da computação. Ele não tinha qualquer formação na área, mas conseguiu aprender tudo por conta própria, lendo livros e realizando pesquisas avançadas sobre o assunto. Além disso, o adolescente era dono de um site em que catalogava milagres de conhecimento público — do qual também ajudava a espalhar a palavra na internet.

No dia 12 de outubro de 2006, Acutis faleceu em decorrência de uma leucemia fulminante e foi enterrado na cidade de Assis, localizada na região de Umbria, no centro da Itália. O jovem até havia pedido para que o levassem em uma peregrinação em locais com Milagres Eucarísticos registrados, mas isso não aconteceu por conta do agravamento da doença.

O milagre no Brasil

Para que pudesse ser santificado, Carlo Acutis precisava ter um milagre atribuído pela Igreja — e feito foi registrado no Brasil, precisamente no Mato Grosso do Sul. O detalhe curioso é que Acutis jamais visitou o país.

O milagre envolveu a cura do menino Matheus, que sofria pâncreas anular — uma malformação congênita rara que faz com que uma pessoa não consiga fazer digerir adequadamente alimentos sólidos.

Um padre da região, amigo da família do menino, trouxe da Itália o pedaço de uma roupa com uma mancha de sangue de Acutis, a pedido do próprio menino Matheus. A peça foi usada em uma cerimônia de bênção em 12 de outubro de 2010, mesma data do falecimento de Carlo Acutis.

Segundo a mãe de Matheus, foi a partir daquele evento que o seu filho milagrosamente voltou a se alimentar corretamente e sem vomitar. Sua cura foi constatada nos anos seguintes, após uma série de exames provar que o menino estava livre da síndrome. Como citado anteriormente, o caso foi tido como um ato de milagre por parte de Acustis.

Continua após a publicidade

Beatificação

O processo de beatificação de Carlo Acutis foi o derradeiro evento que reconheceu oficialmente a santidade do jovem. Em 2018, o Papa Francisco declarou Acutis como venerável, reconhecendo as virtudes heróicas do jovem. O passo seguinte para a permissão ao culto foi a aprovação de um milagre atribuído à sua intercessão — onde a história do menino Matheus se encaixa.

A beatificação de Carlo Acutis aconteceu na Basílica de São Francisco de Assis, na Itália, com a presença da família do jovem e do menino Matheus. A cerimônia foi transmitida ao vivo nas redes sociais e contou com a leitura da carta apostólica do Papa Francisco, que concedeu o título de Beato a Acutis. Alguns cuidados, como máscaras e distanciamento social tiveram que ser adotados, devido à pandemia de coronavírus.

Continua após a publicidade

O corpo do Beato foi encontrado parcialmente intacto após a exumação feita em janeiro de 2019 e atualmente fica exposto permanentemente na Itália. A data de celebração de Acutis passou a ser 12 de outubro — a mesma de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil.