Kim Dotcom renuncia diretoria do Mega e foca em projeto de música

Por Redação | 04.09.2013 às 16:23 - atualizado em 04.09.2013 às 19:09

Kim Dotcom anunciou que está deixando o cargo de diretor do Mega, serviço de hospedagem na nuvem lançado no início deste ano. O empresário decidiu liberar tempo na sua agenda para gerir outros projetos, incluindo algumas batalhas judiciais que ainda estão em curso, suas novas aspirações políticas e sua nova plataforma de música.

O The National Business Review diz que Dotcom renunciou ao cargo de diretor do Mega na semana passada, mais precisamente no dia 29 de agosto, mas o anúncio oficial em seu perfil do Twitter foi feito apenas hoje (04). Bonnie Lam, de Hong Kong, foi designado para substituí-lo.

Plataforma de música

De acordo com o TorrentFreak, em poucos meses, Dotcom também deve lançar um novo serviço de música, cujo nome ainda está sendo mantido em segredo. Os rumores acerca do novo empreendimento não são novos, na verdade eles circulam desde o ano passado, quando a plataforma ainda era chamada de Megabox.

O criador do inesquecível Megaupload garante que o novo serviço de música será operadora por uma empresa que pertence a ele, diferente do que acontece com o Mega, e que o nome Megabox foi deixado de lado e será trocado por um melhor, que ainda não foi revelado. Atualmente, 22 desenvolvedores estão trabalhando no projeto e o lançamento está previsto para os próximos meses.

Batalhas legais

Dotcom também precisa se concentrar nas batalhas legais do Megaupload, que ainda estão rolando na justiça. Ele e vários colegas do antigo serviço de armazenamento estão lutando contra um pedido de extradição para os Estados Unidos, onde são procurados por várias alegações de crimes. A audiência de extradição de Dotcom está prevista para novembro deste ano, mas pode ser adiada para abril de 2014, porque os argumentos jurídicos sobre uma série de questões têm complicado o caso.

Partido político

Um tweet recente de Kim Dotcom sugere que o empresário/hacker, famoso por fundar o Megaupload, está pensando em entrar para o mundo da política. Se tudo correr conforme planejado, um novo partido disputará as eleições de 2014 na Nova Zelândia.

"Eu não sou um cidadão da Nova Zelândia e, portanto, não posso ser eleito para o Parlamento, mas eu posso ser o presidente de um novo partido", disse Dotcom, que tem origem alemã. "Eu criei um projeto de programa político e estou nos primeiros estágios de conhecer potenciais candidatos para se juntarem a mim".